Subscribe:

segunda-feira, julho 28, 2008

Da Série: Vídeos Caseiros para se ver em casa! Parte II

Dia 27 de Julho de 2008, foi o aniversário de 1 ano do Sr. Cabeça de Bolinha.

Uns dirão: Nuoooossa, como passou rápido!!

Outros apenas arregalarão o olho e se perguntarão que dia é hoje!

É... eu sei, passa rápido quando estamos nos divertindo.


Felizmente, eu consegui fugir da ultra-mega-extra-power festa esse ano.

Menos, é mais sempre e obedecendo essa máxima, relembrei meus tempos de criança fazendo eu mesma o bolo,
enrolando os docinhos com Engraçadão e comprando refri + cachorro quente prás poucas pessoas da família que vieram.
Deu trabalho sim, mas não foi enervante nem estafante. E o melhor, ele se divertiu tanto, tanto, tanto... muito mais q na vez de Pacotinho que foi comemorado na casa da Lan Sogra.

Valeu demais. Ele ficou solto na buraqueira, no chão quase todo o tempo,

distribuiu beijos,
gargalhadas,
sorrisos
e tapas, pq afinal,
ele é meio bebê bam-bam.

O Sr. Cabeça de Bolinha já apresenta algumas habilidades:

  • Fica em pé sozinho, mas malandramente, não arrisca os passinhos porque sabe que o chão é duro!
  • Já tem 4 dentes em cima e dois embaixo e faz algumas manobras radicais com a chupeta. Duvida?
Então toma!

video

AVISO AOS NAVEGANTES!

MEUS QUERIDOS 5'S LEITORES,

EU PRETENDO POSTAR ATÉ ÀS 23.59h DE HOJE, MAS ENQUANTO ISSO NÃO ACONTECE POR MOTIVOS DE FORÇA MAIOR, VOCÊS PODEM IR SE DIVERTINDO AQUI, QUE TEM POST MEU HOJE.


BJ NA BUNDA.

domingo, julho 20, 2008

Da Série: Vídeos Caseiros para se ver em casa! Parte I

Vou dar uma pequena prévia do que está a minha vida (e desde quando eu sou mulé de resumos?):

Esta semana fiquei dois dias em treinamento num hotel em Copacabana e quando voltei ao tronco na quinta feira, tudo acontecia em ritmo aceleradíssimo. Enquanto eu permanecia em slow motion... The Boss havia voltado de férias, tinha gente prá mandar prá África, fora toda a rotina de escritório... mas lá está super legal, não tenho do q me queixar, só a saudade dos amigos. De visitar... de comentar... de postar...

Well, well, well... nunca contei aqui que Pacotinho é um líder nato né? E mais, ele é róbert, estrela e em tão pouco tempo de vida, já é famoso.
A molecada da escola se amarra nele, as professoras se amarram nele, as funcionárias, se amarram nele e aonde vai, fala com todo mundo, conquista todo mundo e melhor, sem fazer força.

Sabe aqueles ônibus de turismo que parece q tem três andares? Pois então... ele é apaixonado. Tanto, q quando a gente sai da escola dele, a gente pega a Rua Pinto Guedes e sempre no mesmo horário, passa um desses grandões e lindos q não sei bem ao certo como começou, ele fez amizade com o motorista (o cara em movimento Ok?!).

Realmente não sei como começou essa história, pq foi quando o pai dele ia buscá-lo. Só sei que quando eu apareci na história, o motorista passava e dava uma buzinadinha. E Pacotinho acenava eufórico, gritando:

PACOTINHO GRITANDO EUFÓRICO - Mããããe!! Olha o meu amiiigo! Meu amiiiigo, mãe!!

E nessa o cara passa e dá uma buzinadinha.
Até eu ficava eufórica de ver aquilo. Só que evoluiu.
Um belo dia, a gente tava tentando atravessar a rua e estava bem na hora do ônibus passar. O trânsito estava intenso (isso, sempre por volta das 19... 19.15h) e a gente não conseguia atravessar. Até que veio o ônibus e ele simplesmente atravessou a pista e parou o trânsito prá Pacotinho passar.
Eu, completamente com cara de perplexa agradeci, Pacote pulava e dava tchau efusivamente e aquele bando de carro buzinando sem saber o q estava acontecendo... o motorista foi embora.

Depois dessa vez, tiveram outras paradas de trânsito que acabaram me deixando mal acostumada, devo confessar... mas ainda me surpreenderia com o poder de Pacotinho.
Estávamos em época de natal e ... bem... numa dessas atravessadas, em plena ante-véspera, a gente passou, o motorista encostou, parou o ônibus e desceu para apertar nossa mão. Isto foi ano passado.

A gente continua encontrando com ele e ele buzina. Se precisar, pára, desce e aperta nossa mão. E nem eu, nem Engraçadão nos acostumamos com o poder de sedução desse garoto!

A seguir, uma prévia desse poder na festa junina da escola com seu grande amor, a Fefê:
video

Quer saber da nova? Agora, quando vamos ao mercadinho comprar pão ou alguma coisa, a onda de Pacotinho é perguntar aos repositores de mercadoria, ou os caras que arrumam os produtos nas prateleiras, se eles precisam de ajuda!
Chupa essa manga.

sexta-feira, julho 11, 2008

SOBRE POBREZA DE ESPÍRITO

Trabalhar fora é muuuito legal!
Fora o aprendizado prático da coisa, vc é obrigado a conviver com os mais
variados tipos de pessoa e tem q aprender a lidar com isso.
Prá quem é observador e se interessa pelo estudo do cerumano, é um prato
cheio pro aprendizado.

Tem aquelas pessoas por exemplo, que só sabem cobrar e pedir, mas na hora
em q vc precisa de ajuda, elas estão sempre ocupadas e nunca podem te dar
atenção ou quando dão, nunca podem te ajudar, pq estão ocupadas demais prá
isso. Se vc já é mais escolado, já saca no ar q ou o sujeito não sabe, ou
simplesmente não tem saco práquilo e vc nem insiste. Tenta desligar o mais
rápido possível pq já leu nas entrelinhas q este é um caso clássico de um
bom dum féla da puta egoísta!

Tem aquelas pessoas completamente seqüeladas, cuja objetividade nunca
passou perto dali, nem por engano.
Vc faz uma pergunta simples e prática e a pessoa começa a divagar sobre os
mais variados assuntos e se deixar, qdo vc se dá conta, até vc já está
respondendo sobre o outro assunto, tendo se esquecido completamente qual
foi a pergunta que fez prá esse infeliz!
Aqui no tronco tem uma criatura assim.

Tem uma catiguria q eu gosto muito.
Gosto muuuito de botar no cu, se é q vcs me entendem!!
É daquela pessoa infeliz q não tem merda no cu prá cagar, mas se "acha".
Não pensa q tá podendo. Tem certeza. Só q não pode.
É aquele tipo de pessoa que se vc comenta algo q vc tem, ela também tem e
muito melhor q o seu.
Se vc já foi a algum lugar, ela já foi 10 vezes e faz questão de te dar um
relatório completo de quanto gastou, de dizer o preço de tudo e em caso de
logomarcas, ela faz questão de esfregar na cara o nome da marca q usa, de
preferência importada q é prá mostrar q tá podendo.
Mesmo q vc saiba q essa criatura ganha tão mal, mas tão mal, q nem tem
desconto em folha no imposto de renda.
As famosas deslumbradas!
Com quê mesmo hein?! Eu me pergunto...

Tem os centralizadores.
Esses trabalham tão bem, q mesmo q vc apresente um trabalho limpo, enxuto e
cumprindo ordens dessa própria criatura, ela sempre dá um jeito de fazer
alguma correção. Felizmente não convivo c/ esse tipo de gente, mas conheço
um monte q conhece.
Já tive uma colega até falecida, tadinha, q era mestre em atrasar o
trabalho da equipe. Ela recebia o trabalho e ia meio q escondendo em sua
parte do balcão prá poder fazer tudo sozinha e qdo chegava no meio do dia,
com fechamento em cima e o bicho pegando, aos 43 do segundo tempo, é q ela
vinha pedir ajuda, pq aí também se ela deixasse, espirraria merda prá todo
lado!
Daí q a gente se fodia toda por causa dela, mas cumpria.
No final, tudo sempre dá certo felizmente!

Foi por isso, q semana passada na night, eu não me contive.
Estava dançando com um mulato muito bonito e cheiroso na night. Ele até que
estava na má intenção, mas eu só o deixei se aproximar com a promessa de q
só dançaríamos. Dança de lá, dança de cá e o cara meio q achou q ia
conseguir me dobrar mais tarde.
Mas o q ele não sabia, é q quando eu digo não, nem o capeta me faz mudar de
idéia. Eu já tinha perguntado qual perfume q ele estava usando e ele se
negou a dar a informação, se fazendo de gostoso. Então eu caguei.
Quando ele viu q daquele caroço não sairia angu nenhum, meio q se emputeceu
e entrou numa de esfregar na cara q tinha dinheiro.

Primeiro: Quem tem dinheiro não tem essa real necessidade. E se tem, isso
caracteriza pobreza de espírito.
Quem pode realmente, pode e é nítido. Porque a principal riqueza está no
interior de cada um e não na matéria. Quem é pheeno é pheeno e pronto!

Aí, o cara:

CHEIROSO - Vc sabe quanto custou esse perfume?
EU (já pensando pronto, lá vem!!) - Não (já dando aquela minha famosa
levantada de 1 sobrancelha só!).
CHEIROSO TEIMOSO - Foi mais de US$ 100,00
EU - É meeeismo?
CHEIROSO JÁ ANTEVENDO Q FEZ MERDA SORRINDO AMARELO - Foi.
EU -
Fooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooodaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa-seeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee!
Vc sabe quanto foi este Dior q eu estou usando??
CHEIROSO - Não.
EU - Nem eu. Sabe por q?? Porque não importa. Não interessa.
CHEIROSO - Ah... o meu é o Armani Blue

E eu pensei: Éééé?? Então enfia no cuuuul.

Mas me contive.
A bem da verdade, anotei no meu caderninho mental, pq assim q sobrar uma
graninha, vou alí na loja do china correndo comprar!!

Detesto pobreza de espírito.

Bj na bunda!!

segunda-feira, julho 07, 2008

VIVA LA VIDA

O dia hoje não foi mole não.
Consegui chegar mais cedo no tronco, para receber um novo funcionário e já de manhã recebi uma notícia completamente indigesta.
Ainda estava com os olhos inchados de tanto chorar por conta do filme O PERFUME - A HISTÓRIA DE UM ASSASSINO (joga no google ou veja o q eu escrevi
aqui - procure o post de segunda feira) quando toca o telefone e uma voz feminina dava conta, que meu pai não tava muito bem de saúde.

Até aí, morreu neves!
O problema, é q Sr. Engraçado se sente o máximo, se acha o máximo e não admite estar doente.
Ele está se recuperando daquela gripe galopante q derruba adulto e bota um febrão de 39ºC prá cima. Até aí, tudo bem. Ele foi ao médico, foi medicado e a febre cedeu.
Mas médico daqueles q olha prá tua cara e dizem q é virose, sem ao menos pedir exame nem nada.

Suspeita-se q algo esteja acontecendo, mas ele se recusa a ir ao médico.
Sendo assim, à partir de hj, ele está em minhas orações e se Deus permitir, q a morte seja uma maneira de conforto, porque pior do q a morte, é ficar entrevado numa cama dependendo das pessoas.
Existem doenças que debilitam e tornam a pessoa dependende dos cuidados de terceiros.

Pessoas ativas, abominam esse tipo de situação. Por isso, algumas vezes a morte é um consolo.
No caso do meu pai, o teimoso, o arrogante, o fodão, num caso de doença degenerativa, a morte seria um presente.

Não estou triste, nada se sabe afinal.
Estou puta mesmo!
A ignorância já é a pior forma de doença. Ela cega, ela nubla os pensamentos e principalmente acovarda diante de situações q muitas vezes tem solução.
Por isso, passei o dia com raiva. Chorei mais um pouco, de raiva.
Se eu estivesse perto, talvez batesse nele e o levasse pelas orelhas ao médico.
Mas minha rotina me engolindo...
Meus compromissos me chamando... minha responsabilidade me alfinetando.

Já tenho meus filhos afinal.

sexta-feira, julho 04, 2008

CONTOS DO METRÔ CARIOCA

Tenho percebido de um tempo prá cá: nada mais me abala em termos de METRO
RIO.
Há exatos dois anos, eu vivia indignada, brigando, xingando em pensamento o
metro, as pessoas mal educadas do metro, o aperto do metro eeeeee a porra
toda.
Agora, é como se essas coisas deixassem de existir.

Nada mudou.
Posso mesmo afirmar, que o serviço até piorou. Mas quem mudou fui eu. Isso
com certeza.
Será q se deve ao fato de eu ter comprado aquele celular que vem com MP3
Player e por isso eu me fecho no meu mundo, como um bom e velho autista?
Não sei não...
Mas o fato, é q nem a ignorância, nem a falta de respeito com as grávidas,
com os idosos e com o próximo mesmo (e como é próximo!) tem me despertado
atenção.

Realiza:
Estava eu outro dia lépida e fagueira, ouvindo meu Coldplay, cujo verso da
música Don't Panic (muito apropriada por sinal), dizia assim: We leave in
the beautiful world! * Nós vivemos num mundo lindo! - Ok. Bem nesse momento
da música, o metro está parando na estação Estácio!
Para quem não mora aqui, esta é só a estação que faz integração com uma
outra linha, onde ao abrir a porta dos dois lados, entra a boiada. Juro q
lembra o estouro da boiada. Ao q o trem freia e o Chris Martin canta, eu
penso:
Ahã! Beatiful world de cu é rola. Isso, porque vc não tá aqui dentro, vendo
o q vai acontecer agora. E aaaaaaabre a porteira Sííílviooooooooooooo!

Entraquelepovotodojuntoespremidoquerendodesesperadamenteacharumlugar e
empurrapertaespremepisagritam-aiporratámemachucandooo!

E eu lá: We leave in the beautiful world! We leave in the beautiful world!
Every day, every day! We leave in the beautiful world!


* * * * *

No outro dia, como de praxe, entro eu na porra do metro e como já estava
atrasada, lugar prá sentar é ruim de mariola!
Fui em pé e conformada no vagão feminino, liguei meu aparelhinho bunitim,
ouvindo meu som, o vagão vazio de um jeito que dá gosto de se ver, q me
transporta prá época em q o Metro Rio, era transporte de gente moderna e
antenada. Sim, porque há quase 30 anos atrás, tinha muita gente q não
andava debaixo da terra nem fodendo. Foi uma verdadeira polêmica, quando o
metro estava sendo construído aqui. De modo, q ele circulava às moscas.
Sr. Engraçado não perdeu tempo. Ele era ligado nas coisas e tratou de me
levar um dia de metro, na Mesbla da Cinelândia para passear. Era daqueles
magazines de 3 andares, em estilo novaiorquino, onde vc podia passar o dia
vendo os produtos, comprando, comendo, ouvindo música... ai, ai, dava
vontade de se perder lá dentro.
Minha seção favorita além dos brinquedos, era a das barracas de camping!
Porque na Mesbla, ficava tudo exposto/ montado. Daí q vc entrava, deitava
nos colchonetes das barracas e viajava na maionese q era tudo q eu sabia
fazer naquela época! Ok, eu não mudei tanto nesse ponto...

Mas, a esclerose bate forte e eu mudei totalmente de assunto!
Estava eu na porra do metrô ouvindo meu 30 Seconds to Mars, no meio da
música Beautiful Lie (it's a beautiful liiiiiiiiiiiiiiiieeee, it's a
perfect deniaaaaal, it's a beautiful liiiie to beliiiieve it, so beautiful,
beautiful lie makes me...), quando encosta uma grávida e sua mãe bem na
porta quase ao meu lado, momentos antes de chegarmos no Estácio.
Cara, me deu um nervoso aquilo! Me bateu uma bad trip imaginar o que
aconteceria com aquela barriga, ao chegarmos na tal estação. E eu fiquei
boba da mãe dela, não saber q andar colada na porta era mal negócio.
Eram duas pretas pheenas. Talvez não estivessem habituadas a andar de
metro, salvo nos fins de semana.
O fato é que eu não agüentei! Bati no braço da menina e falei prá ela sair
dali, porque já chegaríamos na Estácio e ela poderia se machucar.
Ela alegou que não havia lugar, mas eu mostrei a ela onde ficavam os bancos
preferenciais.

Senti uma certa preguiça em mudar de lugar, porque afinal, ali onde ela
estava era tão cômodo... mas a mãe foi abrindo caminho e eu meti a boca no
trombone:

EU METENDO A BOCA NO TROMBONE - DÁ LICENÇA PRÁ GRÁVIDA AAAÊ! DÁ LICENÇA PRÁ
GRÁÁÁVIDA GENTEMMM!

Não deram muito licença não. Maaas, elas conseguiram um lugarzinho prá
menina sentar.
Logo, o estouro da boiada. No que abriram as portas, entrou o povo em fúria
um lado se chocando com o outro, mas a coisa foi tão violenta, que eu ouvi
um barulho de algo batendo, gente gritando, reclamando... uma doideira. Se
eu não tivesse próxima da saída de ar, certamente aquele seria um dia em
que desmaiaria. Fiquei completamente espremida no canto, olhando pro teto e
cantando: it's a beautiful liiiiiiiiiiiiiiiieeee, it's a perfect
deniaaaaal, it's a beautiful liiiie to beliiiieve it, so beautiful,
beautiful lie makes me...

* * * * *

Hoje foi engraçado.
Percebo q quando eu passo do horário das nove, a situação fica menos
crítica. Encher, enche, mas é suportável. Diferentemente do horário padrão,
entre 8.15 às 9h.
Curiosamente, cheguei à plataforma com o trem parado, porém com as portas
ainda fechadas. Nem sei como, eu consegui sentar. Mal sentei, botei o fone
no ouvido e escolhi a música do Chis Brown (cantor de hip hop) - Damage:
Looooook the damage, Looooook the damage... daaaamage daaaamage thal I call
you, now I broke your heart... - E eu gosto de observar ao redor e ver a
cara das pessoas, tento imaginar o q elas pensam, o q sentem... isso qdo
elas não estão há menos de 1 palmo do meu nariz!
Mas não foi assim hoje.
No outro lado da parede, tinha um rapaz lendo o jornal O Bobo, de terno sem
gravata, fazendo a linha casual... tá bom, tá bom... o cara era gatíssimo
(ouviu Engraçadão??).
Mas daquele tipo de gato, q só é gato até a próxima estação.

Nisso muda a música! This Charming Man - The Smiths (This charming man...
He know so much about these things... I would go out tonight, but I haven't
got stitch to wear... la da la lá da da this charming man...).
Na mesma seqüência de bancos do lado em q eu estava, vagou um assento. Ele,
muito cordato, fez um aceno de cabeça para a pessoa q estava em pé, ao lado
do banco vazio e ao que o outro cedeu lugar a ele, este atravessou e
sentou-se com seu jornal, cômodamente, com as pernas cruzadas de maneira
espaçosa, folheando tranquilamente as páginas, como se estivesse num bistrô
em Paris.

A cena, ficaria completa com a Torre Eifel ao fundo e aquele som
característico dos acordeons franceses, só q neste momento, eis q chegamos
ao Estácio. Ding-dong! Entra a boiada. Ok. O gado dessa vez em número
menor, porém o suficiente para encher o vagão.
O cara de terno gatíssimo, continuou impassível, lendo o seu O Bobo, com as
pernas cruzadas, ocupando espaço confortávelmente em seu bistrô Parisiense.
Caralho!! Vamos marcar território, mas sejamos sensatos. Tinha uma senhora
baixotinha, com uma bolsa grande no ombro e outra sacola daquelas Di
Santinni cheia até a boca, práticamente maior q ela, sem alcançar o ferro
de cima p/ se segurar e toda esticada, sabe Deus como, tentando pegar o
ferro lateral, cuja pernoca do gato, atrapalhava.
E ele? Em Paris estava, em Paris ficou.

Eu falei prá ela me dar a bolsa, ao q fui prontamente atendida!
Mas fiquei pensando: PUT Q PARRÍ!!!! Q VIRA-LATA ESCROTO!! Q CARA
ARROGANTE.
Deve ter ganho uma promoçãosinha de merda ontem e já está se achando gente!
Q comportamento ridículo.
Ele é tão ignorante quanto a grande maioria da boiada q entra pelas portas
do Estácio. A única diferença é q as roupas são melhores e talvez o
perfume! Mas tão ignorante quanto...
E justamente nessa hora, que acabou o charme e a beleza para o gato, se
transformar num cachorro daqueles grandes, espaçosos e preguiçosos q prá vc
passar, tem q empurrar com o pé.

Viu, como ignorância não é exclusividade do subúrbio?
Afinal, quem tem Metro Rio, tem tudo!

* A música, eu atualizo de casa. Aliás, a novidade é q estou sem
Velox-de-cu-é-rola e estou contando com a caridade de uma rede Wireless sem
cadeado para acessar. Esta semana, só entrei de casa na segunda feira, no
dia da caganeira, q fique claro.

Bj na bunda!

Linkwithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...