Subscribe:

domingo, novembro 29, 2009

MEU SEGREDO

TOCAÊ PRA COMEÇAR!



Vou contar um segredo, mas só porque está finalizado tá?
Bem, no auge do desespero ao me descobrir mãe de novo, na época muito a contragosto, fiquei pensando incessantemente numa solução pra me tirar do atoleiro.
Pensei, pensei, pensei e nada vinha.

As coisas aconteceram até de um modo meio estranho.
Primeiro porque comecei a pensar muito na minha Vó Lourdes q se foi e ela é minha referência de mãe, segundo porque estranhamente depois do susto me veio uma paz absurda e por fim uma certeza de q ela está me confortando.

Aí nasceu:


Tive a brilhante idéia de escrever um livro!

Um belo dia acordei com essa idéia do nada. Isso só pode ser coisa da minha avó...
Eu escrevo desde os 7 anos. Tudo bem, q com as mudanças, mamãe Engraçada jogou aquela porcariada toda fora sem ao menos ler o q sua filha prodígio aprontava. Então de uns 13 anos até 5 anos atrás, eu fiquei sem exercitar esse prazer.
Só quando vi de perto o que era um blog, pelas mãos milagrosas de Miss Moura e Lady Metal é que tive a idéia de começar um, para exercitar esse meu lado cheio de teias novamente.

A idéia sempre foi juntar as besteiras que eu falava pra transformar em livro no final, mas quando veio a gravidez de Feijão, eu resolvi compilar os textos que falam desse assunto, mas não de uma maneira cor de rosa, como se costuma ver nas livrarias, mas de uma maneira com tendências homicidas mesmo. Bem do meu jeitinho!
Resolvi pegar todos os palavrões, os sarcasmos, vômitos, reclamações e afins, num livro chamado: Engraçadinha em: Gravidez - Crônica.

Meu sonho dourado é que o lançamento ocorra já no próximo mês. Mas vcs sabem q nada é tão simples assim.
Primeiro porque quero fazer um bicho sério. Tipo... com selo disso e daquilo, quero uma orelha escrita por alguém do meio jornalístico e esse alguém tem de lê-lo pra botar seu nomezinho lá... e esse alguém também tem vida própria, casa, família, restaurante pra tocar entre outras coisas..., dependo do local pra fazer a noite de autógrafos (essa parte nem é tão difícil, mas como uma coisa depende da outra...); tem minha amiga-chaveirinho Dani que fez a edição e sem ela... erros e mais erros de gramática.
Infelizmente como uma coisa puxa a outra, eu não sei se conseguirei lançar este ano ainda.


Poxa... queria tanto botar a mão no 13º salário alheio...
Mesmo se não der, não tem problema. O livro está pronto, as capas que recebi de uns publicitários caridosos (por causa dela) uma mais linda que a outra estão me deixando em dúvida, mas é menos um problema, a orelha vai sair e vamos ver se tudo fica pronto a tempo. Se não ficar, de Janeiro de 2010 não passa!

Meus querido's 5's leitores serão todos convidados e até os de outro estado. Mesmo que não dê pra vir ao evento, dá pra adquirir online o livro, pois será feito sob demanda.

Nem preciso dizer que estou virando purpurina de felicidade né?
Agora sim... estou me tornando vilã completa! Huahuahuahauhauauha!

Bj na bunda.

sexta-feira, novembro 20, 2009

Vá Para A Luz Karolaine

Depois de ficar alguns meses fugindo da luz como o diabo foge da cruz, levantei, sacudi a poeira e dei uma volta na pracinha Xavier de Brito.
É que Engraçadão levaria Amélie Poulin, nossa gata para vacinar na Suípa e eu estou terminantemente proibida de entar lá, sob o risco de pegar alguma grugunhanha.
Pacotinho seu fiel escudeiro além de filho, acompanharia. Já o Sr. Cabeça de Bolinha ficaria comigo, porque cuidar de 2 mais uma gata, é tarefa por demais árdua para Engraçadão.

Lá fui eu à pracinha.
Toda feliz e pimpona, um calor do caralho, vesti meus óculos que me deixam com cara de rica e famosa, meu vestidão preto, sandália rasteirinha e avante avancei.

A felicidade foi geral!
As pessoas da pracinha já sabiam q eu iria, então já estavam comemorando minha chegada.
Uma felicidade tomou conta do povo, de maneira q eles resolveram contratar uma bateria não sei de onde só para me homenagear. Foi um espetáculo!
Fiquei realmente emocionada, afinal, tinha uns 3 meses q eu praticamente não via a luz do sol.

Tive que fazer um registro, porque esse carinho todo tinha que ficar guardado de alguma maneira, não é mesmo?


video
Justificar
Depois das homenagens prestadas, eu segui meu caminho e tirei o Sr. Cabeça de Bolinha do sol, porque ele estava agoniado dentro daquele carrinho.

Tirei a camisa dele, enchi o rabitcho dele de água e o deixei brincando na areia com suas coisas.
Não sei se vcs meus queridos 5's leitores sabem, mas Cabeça de Bolinha é individualista e vira uma verdadeira fera quando as pessoas se metem aonde não são chamadas. Ele tem um espírito de velhinho dentro daquele corpo de 2 anos e 4 meses.
De modo, que apareceu uma guriazinha daquelas q não falam quase nada apesar do tamanho e entrou numa de tomar a pázinha da mão dele. Eu e Sr. Cabeça de Bolinha quase dando uma porrada na menina enquanto sua mãe cagava e andava pra nós a alguns metros de distância.

Mas sabe como é sexto sentido de mãe né. Na iminência de Kbça de Bolinha sentar a mão na garota com o aval da mãe dele (eu), a outra apareceu. Pediu desculpas, bancando a pheena e tirou a pázinha da mão da garota.
Juro, se ele não estivesse brincando, eu diria pra ele dividir, mas não era o caso. A garota pegou na mão grande e não queria devolver.


O tempo fechou, eu lendo minha Marie Claire e o gostoso brincando, quando de repente volta a garota cheia de brinquedo e resolve ficar por perto. Claro, eu esbravejei por dentro. Não tenho o menor saco pra criança de pracinha, salvo meus filhos q são todos autistas e não incomodam ninguém!
A guria achou uma poça de lama e começou a espalhar lama pra todos os lados, inclusive em mim. Ah maluco... comecei a dar esporro nela, como se fosse sua própria mãe, já q a mãe dela estava ainda obrando pra nós (seu passatempo favorito). Não sei se a vaca ouviu, mas resolveu levantar o rabão pesado do banco e tirar a garota de lá.

Avisei mesmo q a porquinha da filha dela estava tacando lama na gente, além de se cagar toda também.

Finalmente trovejou!
Adoro quando ameaça chuva na pracinha! As mães todas saem correndo como se fosse chuva ácida e eu fico lá com meus guris até a dita começar a cair, depois volto lentamente e toda ensopada com eles vibrando de alegria.
Adoramos tomar banho de chuva e nesse dia foi assim.
E com final feliz.

sexta-feira, novembro 13, 2009

QUER SABER?

Meus queridos 5's leitores, não interpretem esse post como um post
mal-humorado.
Não é isso!
Mas a realidade dos fatos me leva a admitir: Quer saber? Tô cagando!
Tô cagando se quando eu chegar na próxima consulta do meu
superginecologista, ele disser que eu engordei 10Kg em um mês!
Eu estou cansada de verdade! Meus 37 anos estão pesando nas minhas costas,
então eu decidi que vou fazer quase só o que me dá prazer.
Vou comer o que eu estou com vontade de comer, nem que daqui há alguns
anos, eu tenha que encher o cu de anfetamina (de novo) e diga que sentir
fome não é algo natural!
Eu concordo comigo quando estou magra: Cruz em credo, pé de pato, mangalô 3
vezes! Sentir fome definitivamente não é natural!
Só que eu estou esperando um Feijão agora. Portanto vou pensar de acordo
com o que ele e meu estômago prezam!
Por isso, neste exato momento, estou enchendo o rabo de azeitonas pretas.
Daquelas graudas, sabe?!
Estava eu no mercadinho que fica anexo ao meu tronco comprando aquele
queijo minas Madre Deus que eu a-mo, quando me deparei com elas:
AZEITONAS ME CHAMANDO - Veeeeeeem Engraçadinha, veeeeeeem!
Bem, eu fui.
Alguém disse:
ALGUÉM DIZENDO - Cruuuuuzes Engraçadinha! Mas é muito saaal!
EU - Aaaah! Quer saber? Tô cagando! Eu quero comer azeitona, então eu vou
comer azeitona.
Muito bom né?!

segunda-feira, novembro 09, 2009

I SUPPOSED TO BE HAPPY

Bom, serei bem econômica nas palavras.
Hoje é meu aniversário e eu estou mais apática do que nunca.
Não consigo enxergar meu futuro... espero que seja de sucesso, mas não faço
idéia de onde ele virá.
Espero sinceramente dar conta, mesmo com as limitações que tenho.
Espero ser compreendida principalmente dentro de casa. Às vezes, quem está
do lado de fora do meu corpo, não faz idéia do que eu sinto.
Outras vezes, pessoas que não convivem comigo e não têm o fardo de me
aguentar, não me esquecem.
Hoje eu cheguei no trabalho e tinham cartazes espalhados.
Achei lindo.
Não quero presentes sabe? Muito menos festa. Não estou para festas. Mas
queria ao menos o abraços dos que convivo.
Só que eles esqueceram completamente.
Só os meus amigos íntimos lembraram
Só minha família do trabalho lembrou.
Minha família de casa esqueceu totalmente.
Então, é como se meu aniversário não fosse.
É como se fosse só uma segunda feira como outra qualquer.

sexta-feira, novembro 06, 2009

É QUE EU ACABEI DE IR LÁ E...

Numa sexta feira ensolarada como essa do Rio de Janeiro, eu trago um
assunto totalmente relevante, inusitado e por que não surpreendente?
Me ocorreu, e olha que não é de hoje que essa pergunta paira no ar,
porqueraios os cocôs fedem?
Pensa bem!
Somos pessoas tão distintas, muitos de nós sábios, empoados, às vezes tão
lindos ou influentes e ainda sim, nosso cocô fede.
Não importa aonde moramos. Se somos da Zona Sul ou da baixanda, passando
pela favela, o cocô fede!
E o cocô alheio é ainda pior que o nosso!
Veja só o exemplo da Luana Piovanni, que tem mais de 30 anos e ainda
conserva aquele corpão de dar inveja e que mora logo ali no cu do Leblon,
quando senta o rabitcho na privada, obra e sai fedido.
É por isso que não entendo aquele nariz empinado que ela carrega. Mas Luana
é paulista, não conta!
Imagine você Angeline Jolie com aquela filharada?! E o maridão? Brad Pitt
que passou dos 40, mas que ainda atrai olhares femininos e masculinos de
admiração?!
Quando vão obrar, vocês pensam que aquilo ali não fede? Não importa. Fede
sim e nem pense em pagar pra ver, porque não vai sair com cheiro de flores.
Não importa mesmo! Na doença ou na cagança somos todos iguais.
Eu desenterrei esse assunto, porque onde eu trabalho, é aquele tipo de
banheiro com três cabines e sabe como é banheiro feminino né?! Mulher entra
em dupla e muitas vezes já entra falando apressadamente e se depara com
aquele cheirinho de vala exalando o recinto.
Outro dia aconteceu assim comigo.
Estava eu confortavelmente sentada, lendo meu Oscar Wilde (Aliás, ô
autorzinho chato do caralho! Como embroma...) e obrando, claro. Entram duas
meninas falando pelos cotovelos animadamente, quando uma delas para e
solta:
UMA DELAS - Caramba!! Que cheiro de vala!
EU - Oi gente! Muito prazer, a vala sou eu!
Bem, eu as conhecia, por isso não me fingi de morta. Mas via de regra,
ficaria sentava imóvel sem respirar, fingindo que não estava ali e que
aquele cheiro não era meu, até que elas saíssem sufocadas do recinto.
Odeio cagar em público! O-dei-o!
Não sei se é por conta da minha eterna prisão de ventre, mas sempre foi uma
tortura pra mim.
Agora que meu intestino milagrosamente regularizou, eu tenho ido ao
banheiro do trabalho mesmo. Não vou prender cocô. Quem faz isso é gente
amarga e mal resolvida.
Eu não! Aproveito a oportunidade!
É claro que não estava com cheiro de vala. A menina depois corrigiu que é
problema do cimento que circunda o vaso sanitário, que está saindo e quando
isso acontece fica com cheiro de vala.
Eu não ficaria realmente magoada se ela dissesse que meu cocô cheira a
vala. Eu não sei que cheiro o dela tem, mas sinceramente não é de jasmim!
Isso é o de menos.
Desagradável mesmo, é compartilhar a toillete com outras pessoas,
justamente no momento em que vc está obrando. Disso eu tenho verdadeiro
horror!
Assim como tenho a noção de que o cocô do outro é sempre mais fedido, não
gosto de passar a sensação pra quem entra desavisadamente no banheiro
quando estou lá.
Bom, terei de esperar meu relógio intestinal mudar pra noite, quando terei
a liberdade de fazê-lo no conforto do meu lar!
É uma pena.
É tudo alimento processado! Não passa disso. Deve ter um ou outro elemento
químico ou bactéria que dá esse futum no resultado final, mas que é uma
sacanagem é! Eu devo ter aprendido isso lá pela sétima série quando
estudava o corpo humano, mas sinceramente esqueci o por quê!
Promento que quando eu morrer, farei um bem a humanidade. Falarei com os
espíritos que são responsáveis pela nossa morfologia e juro, vou reclamar
esse detalhe que faria total diferença.
Isso aproximaria os casais em tempos de rotina. Enquanto um cagava, o outro
escovaria os dentes e tudo que se sentiria, seria um cheiro de rosas
exalando do cu.
Não haveriam discussões desnecessárias, quando fosse pra baixo do edredon e
o outro soltasse inadvertidamente, um peido desavisado.
Tentativas de assassinato escabrosas dentro do carro ou no elevador seriam
evitadas! E no metrô então? Pensem que maravilha. Seria menos um ítem para
entrar na lista que desgasta um casamento! Menos um motivo de pancadaria
generalizada na gordinha de mão amarela que não estava sentindo nada no
metrô!
Siiim, eu farei isso tão logo desencarne.
Imaginem vocês o que eu passo diariamente com meu olfato canino, onde até
os banheiros mais perfumados têm cheiro insuportável. Tudo por conta da
gravidez.
O banheiro lá de casa, nem no dia de faxina escapa! Eu sinto cheiros além
das paredes. Não é justo não é mesmo?! Não. Não é.
Então está combinado!
É meus queridos 5's leitores, como vocês podem perceber, hoje eu não tinha
merda nenhuma pra dizer!

Linkwithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...