Subscribe:

quarta-feira, agosto 01, 2012

GALEGA VAI PRA ESCOLA, E AGORA?


Era o meu primeiro dia na escola. Aos 3 anos, eu não aguentava mais ficar em casa de bobeira. Já havia pedido para ir, as vizinhas que brincavam comigo andavam naquele tal lugar, meus próprios pais, sabiam fazer aqueles desenhos com voltinhas, que seguiam uma linearidade enquanto eu... bem, tudo o que eu conseguia eram meros garranchos. Já estava cansada de não saber. O ócio diário também era algo que estava me dando no saco e foi assim que aos 3 anos pedi para mudar de horizontes. Estava na hora.

Não lembro exatamente como foi meu primeiro dia, lembro do parquinho, da ladeira que parecia imensa no Clube Helênico e de chegar ao parquinho sempre antes de entrar pra sala de aula. 
Nesse parquinho tinha muita areia, o que me dava certo desconforto entre o pé e o tênis, mas o balanço conseguia distrair a atenção.

Meu pai, Sr. Engraçado costumava me levar. 
Ele me ensinou a usar o balanço sozinha, incutiu em mim aquele espírito aventureira de cada vez mais querer voar mais alto e quando começavam a chamar, ele entrava comigo, sentava ao lado da mesa e fazia alguns desenhos. 

Dizem que na primeira semana eu fui na boa (sempre disse aqui que era lentinha!), que o problema começou à partir da segunda semana, quando a novidade se foi. Então eu não queria ficar, grudava nele para não me deixar e ele era obrigado a sair de fininho, fugido de lá. 

Eu tinha duas chupetas. Uma eu chupava a outra eu passava na ponta do nariz até secá-la. Isso, quando estava à vontade em casa, no conforto do meu lar. Na escola não. Na escola, nenhum dos meus amigos gostava de chupeta, além do mais, eu era tão censurada em casa por já ter 3 anos e ainda chupar chupeta, que na sala de aula eu me encolhia num canto, abaixava a cabeça entre os braços cruzados e chupava ali quando a fissura era muita. Era tanto trabalho chupar chupeta escondida, que o prazer ia embora. Com o tempo eu cansei de tanto constrangimento e comecei a deixá-las em casa. 

Nesse tempo eu já estava confortável na escola. Já curtia as sextas feiras de educação física, já sabia dar cambalhota no colchonete, me sentia imensamente feliz quando tinha piscina (era inflável, não se animem!) e eu podia desfilar cada dia um biquini diferente... nessa época eu me sentia imensamente feliz. Escovava os dentes sozinha depois da refeição, tomava tombos homéricos do balanço cada vez mais alto, fazia amigos, coisa que eu não era muito boa, já que minha companhia, brinquedos, papéis com desenhos eram suficientes pra mim. Foi na escolinha Minerva que eu aprendi a fazer a voltinha do E, coisa que na época era o cão! Ali foi o lugar onde eu aprendi a ler e escrever. Saí alfabetizada aos 5 anos. Falava Inglês também, mal e porcamente, claro, mas a pronúncia era ótima. 

Então chegou a vez da galega. 
Galega é uma pessoa desprovida de poesia na vida. É meio mulher marreta. Consegue na porrada, sabe como?
Toda linda foi pra escola dos meninos balançando a lancheira. Chegou lá, alcançou o parquinho, entrou na casinha de plástico, correu pro escorrega, invadiu a sala da ex-professora do Sr. Cabeça de Bolinha, viu a caixa de brinquedos, jogou um monte pra cima, saiu correndo, passou pela tia ensandecida e sentou na gangorra. Eu aproveitei o momento de euforia e me despedi. Ela me deu tchau e um beijo na bochecha.
Voltei pra casa sorridente e confiante.
Às 09:44h toca o telefone:

DA ESCOLA - É a mãe da Dona Miúda?
EU - Sim.
DA ESCOLA - Ela está chorando muito, vc pode vir buscar? Achamos que hoje já é o suficiente pra ela.
EU - =O

Ela ficou de 07:30h até quase 10:00h. 
Ainda está agitada, insegura e muito mais atentada que o normal, já que ela não é de dar trabalho. A rotina mudou muito desde que saiu da casa da mãe 2 e ela está sem a rede de proteção, que apesar de estar diante de seus olhos, ela ainda não consegue ver.

Ontem, foi crítico, porque ela grudou no meu pescoço e me agarrou com as pernas também. Chorou muito ao perceber que eu abandonava o recinto num momento seu de distração e eu cruzei o portal da escola debaixo dos berros dela, mas não voltei.
Ontem, ela ficou até o fim. Veremos no dia de hoje!

6 comentários:

Anônimo disse...

Ela chorou e vc? Olha como Carol vai pra escola desde bbzinha nunca tive muito problema com a "adaptação", mas pasme! Agora, depois de "grande" e adaptada ela deu pra não querer ir pra escola... Ela ja acorda falando: Mamãe não qué passiá! Gente, meu coração fica do tamanho de uma ervilha e no fundo bate uma culpa mortal por não poder ficar mais tempo com ela, por não ter opção mesmo sabe? *snif
Tatiana IZZO

Engraçadinha disse...

Tati, não chorei.
Nem ontem nem no primeiro dia, porque ela tava bem.
Confio plenamente na escola e sei q devo passar segurança pra ela.
Eu choro quando tenho que ir viajar, ou deixá-la para dormir na casa da mãe 2, essas coisas, mas pra escola não.
Até porquê agora é só meio período!

Anônimo disse...

Isso que é mulé de fibra!...rs Eu queria ser forte SEMPRE!...kkkkkkk Tati IZzo

Lulu disse...

Ai tadinha da dona Miúda. :(
Imagino seu estado ao pegá-la na escola dá um aperto no coração. Os filhos crescem é duro para as mães entenderem que eles vão caminhar com as próprias pernas. Força na peruca.
Big Beijos

Tutti disse...

Lembro que essa fase de adaptação foi pior pra mim (rsrs). Bruno entrou correndo na escolinha e nem olhou pra traz uma vez se quer!!! No segundo dia, a mesma coisa. A professora me aconselhando a ir embora, pois ele estava bem e eu lá escondida atras do muro, esperando que a qualquer momento ele chamasse pelo meu nome... e nada!!! Durante uma semana voltei pra casa chorando (rsrsrsrs). Ele sempre foi muito independente. Por mais que batamos no peito dizendo que "criamos o filho pro mundo", que "filhos são flechas lançadas", sentimos um grande aperto no coração nesses momentos. A escolinha é o segundo corte no cordão umbilical.
Miguel começou essa semana a adaptação na escolinha também. E, mesmo não sendo responsabilidade minha, o meu coração voltou a ficar apertado!!

Luiza Fernandes disse...

Nossa, que engraçado ver como as crianças se comportam com as novidades...
Estou louca para chegar a minha vez de ver a minha miúda na escola....

Linkwithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...