Subscribe:

sexta-feira, janeiro 24, 2014

MATERNINADE + VAIDADE = BIPOLARIDADE


Lá vai a mãe toda faceira tentar comprar um óculos de sol. 
Reformulando, lá vai a mãe toda faceira fazer uma estimativa de preços de um óculos de sol. 
Melhor.
Lá vai uma mãe toda faceira, que não compra óculos de sol há pelo menos dois anos e que precisa urgentemente de um.

Juro que tentei seduzir marido com a ideia de me comprar um óculos de sol novo, afinal, o meu atual, comprado de presente num charmoso camelô em Londres, com aquelas lentes de prárdigo chiquérrimas, vintage, quase hipsters na cor Red (o grito em sibemol da moda em 2012), está com a lente toda arranhada sei lá por qual motivo. Acho que é do tipo auto-arrnhável, sei lá. Fato é, eu que sofro de fotofobia e não vivo sem um óculos de sol, desde que tinha 4 anos de idade, estou com vontade de jogar o vermelho no chão e pular em cima. Só tem um problema: EU NÃO POSSO FICAR SEM ÓCULOS DE SOL!

Preciso repetir meu redemoinho profissional e as mazelas da minha vida financeira de 2012 pra cá? Acho que não né?! Até porque, vocês já leram (bom, se você ainda não leu, acesse os links de 2012 na coluna direita)!

Agora eu sou uma mãe, dona de casa, estudante e esposa que depende do dinheiro de marido para qualquer coisa. Coisa essa que não estou muito habituada desde que tinha 18 anos. Sabe como é mulher né? A gente está precisando, vai lá na loja, duranga mesmo, parcela e sai feliz como se não tivesse que pagar. Já eu, não posso mais me dar ao luxo.

Hoje na praia com maridón, usei a velha tática do cerca Lourenço, da conversa mole e não ouso chamar essa tática de sedução, porque na verdade não foi. De maneira, que conversamos sobre o ebay.

Entrei no dito cujo, mas tudo em Inglês, confesso, me senti meio perdida com tanto óculos. Não sabia se eram bons ou ruins, porque os preços começavam em centavos de dollar. Estava na cara que eram lances. Então arrisquei pisar num terreno que já frequento e digitei RAY BAN. 

Ray Ban aqui no Rio sai caro. Ora, se o pão no Rio de Janeiro está pela hora da morte, que dirá o Ray Ban, não é mesmo? Ainda que chame de investimento, o mais mais barato do tipo, não sai por menos de cento e sessenta paus. 

Agora você me diz, como eu vou falar em cifras com marido, com tanta coisa precisando em casa. Claro, disse que não valia a pena e que hoje mesmo iria no shopping procurar um modelo daquele que anda anunciando no BBB. Aliás, foi dessa marca que comprei o meu último grande, lindo e maravilhoso óculos de sol e que durou uns dois anos. Enfim, ele quebrou nas mãos de Dona Miúda. Contudo, achei de grande ousadia, ousar pensar num Ray Ban nessa altura do campeonato.

Então fui ao shopping. Lugar esse que não ouso pôr os pés desde vocês sabem quando. Fui lá. Tomei coragem e fui mesmo, cara! Fui e não gostei. Eu tenho a mão cagada, vocês também sabem disso, então tudo que eu pegava começava com duzentos e nem era Ray Ban. Beleza que os modelos eram lindos e tals, alguns muito a minha cara, de qualidade, mas começando com duzentos, chegando bem perto dos trezentos.

Fiquei ali um tempo fazendo a pheena, babando e tremendo por dentro, morrendo de ódio do meu bocão. Só lembrava do Ray Ban, cem paus mais baratos. Tudo bem que o Ray Ban ficaria com aquela cara do meu óculos de grau, hipster toda vida, mas quem liga? É de qualidade. E diante de preços tão absurdos, o que nos resta senão recorrer ao ebay? Ainda sim, me pergunto: É sério que não dá pra ser mãe e vaidosa nessa cidade do Hell de Janeura?

Ideal de óculos e cabelo
Grata
Obviamente não me refiro às rycahs de fato! Também não me refiro às que trabalham. Será que me refiro às estudantes com pais ferrados?
Já não sei em que categoria me encaixo mais.
Vejam só, consegui um estágio e hei de começar no início de fevereiro, com saldo mega comprometido. É provável que veja a cor do dinheiro lá pelo quarto ou quinto mês de trabalho, de qualquer forma, precisarei de unhas novas, roupas, sapatos e um cabelo digno. O meu cabelo inclusive, deixei de alisar. Saí dizendo por aí que vou voltar aos cachos, mas não nego que com muita dor no coração. Perde-se tempo em manter cachos, ou seja, tudo o que não posso me dar ao luxo. Meu cabelo, é minha imagem, é meu adorno e a forma que me sinto confiante. De cabelo feio, talvez minha libido continue no ralo. Aliás, eu estou indo pro ralo, não é pra rir.

Então, só me resta pesquisar na internet, rezar e ter fé. 
Vou fazer a dieta do espelho, parar de me olhar, comprar cremes ativadores de cachos, rezar, usar o óculos arranhado, bater de cara no poste, rezar, procurar um ortipedista que conserte meu rosto, rezar, ignorar o espelho, encolher a barriga e continuar rezando.

Não existe solução mágica.

5 comentários:

Anônimo disse...

Eu tenho que cuidar do meu cabelo, da minha dieta, da minha pele cagada toda vida, de dar um rumo na minha vida desde que o governo do riodejanê meteu o pé em mim ou me fez meter o pé de toda aquela merda, o que dá no mesmo. Em um ano, aniversário dia 7 de fevereiro (não fica, não vai ter bolo), minha vida entrou em loopings fodidos de perrengues com a saúde, grana curta, mudanças, dificuldades com as quais eu não sonhava desde os 17 anos quando fui viver minha própria vida e nunca mais dei satisfação pra ninguém - exceção temporária à digníssima nos sete anos em que fui casada com ela... Mas a vida ensina, e te digo que aprender rápido é uma das minhas incríveis qualidades. A vida ensina até mesmo a descer pelo ralo, achar desvios maneiros no esgoto, desfilar no meio do cocô que a CEDAE não trata, e sair leenda em Ipanema. Ou no sul do Brasil outra vez, no caso. E só te digo uma coisa: não tem Raibã made in Saara certo, nega. Não tem cabelo cagado, falta de tempo, falta de grana, político escroto, cidade violenta, mudanças forçadas, amor à distância, enfim... Não tem nada que abale gente da tua raça. Gente da minha raça. Essa raça que insiste, persiste, cai, levanta, cai de novo, sacode a poeira e dá uma sambada pra estampar uma cara de "lá vou eu de novo". Cê sabe, eu sei. Força aí. Bê-jo.

Mademoiselle Migraine disse...

Amorrr... Tem um stand no Nova América, perto da praça de alimentação nova... Esqueci o nome... Mas, enfim, não tem erro... Óculos lindos, com preços entre 50 e 80 dinheiros. Vale a pena!!!

Anelise Brasil disse...

Calma o coração, fia, calma o coração.
Assim, ó: existe uma coisa chamada brechó na qual, com algum tempo de pesquisa e alguma sorte, cê consegue achar um óculos bacana, vintage que te deixará pheena e com cara de Sophia Loren.
Sorte e saúde pra todos!

Lulu on the Sky disse...

Força na peruca Engraçadinha, as coisas vão melhorar e poderemos correr atrás dos nossos objetivos e sonhos de consumo, tb to passando por uma tempestade astral que tá brabo.
big beijos

Eve disse...

Pois, eu tava num perrengue desses tb. Desisti, comprei um de 10 eurecas nessas lojas de biju. E ó, serve, dá pro gasto e pro sol daqui, pq né? nem compara! rs

Linkwithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...