Subscribe:

segunda-feira, janeiro 06, 2014

Ninguém te conta - MATERNIDADE PRAZAMIGA



Tem uma amigona minha, que morria de medo de dar o pontapé inicial rumo à maternidade. 
Eu sempre floreei a situação... quer dizer, floreei não. Eu sou do tipo que quando me dão um limão, eu me debato, mas faço a porra da limonada, não é assim que tem que ser? 

De maneira que não perdi meu tempo falando das coisas ruins, porque a maior bênção que meus filhos me deram, foi o auto-conhecimento. Ninguém nessa vida foi capaz de tamanha façanha. Além de terem me colocado no meu devido lugar, claro. A gente aprende a entrar lá no fim da fila, dar um bico no ego e seguir adiante. Esse aprendizado também é o máximo, praqueles de coração aberto a aprender com qualquer coisa, principalmente crianças.
Só que nem todo mundo está a fim de passar por isso tão cedo e isso não consiste um pecado. É apenas o tempo de cada um, oras! Livre arbítrio, lembra?

Afinal... Ninguém te conta que quando você sai da maternidade com o bebê, ele se transforma num mini-monstro. Ele não te deixa dormir na madruga e mama até seus peitos ficarem doídos.

Ninguém te conta que a amamentação, não é aquela coisa linda e glamourosa que te contam na TV. Não quero aqui apagar a importância da amamentação na vida do bebê, mas existem aquelas mães que sentem imenso desconforto durante o ato, ou existem aqueles bebês que não estão a fim de mamar no peito, tem ainda os bicos que racham, as mamas que inflamam e te dão a sensação de que estão ateando fogo nelas, enquanto o bebê faz menção de sugar. Por conta disso, vem uma incrível culpa em cima das progenitoras, típicas de toda a lavagem cerebral que é feita na mídia. 
Alô mães, a criança tem que se alimentar e basta. Se for bom, se der pra levar, Ok. Se não der, mamadeira neles! Ninguém vai pro inferno por isso, nem mamãe e nem bebê! 
NOTA: Eu amamentei meus 3 filhos por no mínimo 5 meses.

Ninguém te conta que seu peito VAI CAIR SIM depois que você amamentar. 
Não encare isso como campanha contra amamentação, por favor. Só estou te contando a real. Sabe, eles sugam, puxam, alguns mordem seu peito, e claro, isso tem que ter uma consequência. Para umas mais, para outras menos, ainda sim, eles vão mudar e pra pior. Conforme-se.

Ninguém te conta que se você fizer cesária, tem sempre o primeiro cocô, que pras que sofrem de prisão de ventre, àdeus tóba e a perda da liberdade de ir e vir (dos quartos pro banheiro e pros quartos novamente), é algo que vai te deixar parecida com Darth Vader. Para as que adoram um mole ou serem cuidadas, pode ser uma fase boa. Para as que odeiam depender dos outros, será uma verdadeira batalha a ser travada e há que se tirar algum aprendizado disso.

Ninguém te conta que seus hormônios vão te trair ao ponto, de te fazer xingar quem mais te ajuda, te deixar intolerante com as mínimas coisas, tipo... choro de recém-nascido, ou uma toalha fora do lugar. Isso, pode virar sinônimo de tsunami dentro de casa. 

Ninguém te conta que se você já tiver outros filhos, a chegada de um novo membro pode ser um período tenso, de disputas territoriais e muita zoeira na cabeça do bebê. Tente não projetar seus medos, embora isso seja quase impossível. Mas esse lance de fazer silêncio pro bebê poder dormir, esqueça, entregue pra Deus (se crê em um), ou apele pra chantagem. Coisa que toda mãe aprende a fazer com maestria.

Ninguém te conta que você estará condenada a comer comida fria, ou mesmo restos de comida, por quase todo o resto da vida (dependendo da quantidade de filhos que tiver), ou por longos anos, principalmente se você for contra o desperdício, ou ainda for daquelas que prezam o trabalho bem feito (se for das que cozinham) e odiarem jogar comida fora.

Ninguém te conta, que se você não praticou sexo na gravidez, sua perseguida encolheu e voltou a ser virgem. Então, haverá a primeira vez e queridaaammmm, isso doooooi!

Seguindo essa vertente, ninguém te conta que a última coisa que você vai querer ver na vida é piru, por pelo menos um bom tempo. Porque é pouca mãe pra tanta demanda!

Ninguém te conta que as meninas choram, berram, dramatizam e grudam como chicletes, te dando ímpetos de arremessá-las pela janela.

Em compensação, amoor, quando eles dormem e exalam aquele cheirinho; quando eles te olham como se você fosse a coisa mais importante do mundo; quando eles nascem no inverno e têm aquele corpo quentinho, capazes de espantar seu frio; quando eles dão o primeiro sorriso banguela só porque você é a mãe deles e a pessoa em que eles mais confiam na face da Terra... quando as similaridades com você, seja no rosto ou personalidade começam a aparecer, cara, impossível não te encher de orgulho, não te derreter.

A gente é capaz de matar ou morrer por eles. 
Mas isso, nem precisa te contar. Você vai descobrir sozinha.

8 comentários:

Flavio Santos disse...

Que posso dizer disso tudo? Sou homem, não passarei por essa experiência e por mais que diga "entendo", não entendo porra alguma. Apenas compreendo. Mas eu acredito em Flavia Moura! Lembro de uma vez que pedi pra você um texto falando sobre a questão da sexualidade na gravidez. Achei aquilo apavorante e isso deve ser apenas um grão de areia nessa vasta praia (senti muita pena do Sr. Engraçadinho!). Sendo assim, na falta de argumentos, só me resta concordar contigo. Mulheres! Leiam esse post e façam seus filhos, porque Engraçadinha foi na frente pra dizer qual é a real (e três vezes, só pra garantir).
Beijos.

Lulu on the Sky disse...

Ainda não passei pela experiencia da maternidade e nem sei se passarei, mas sou apaixonada por crianças.
Big Beijos

sorteio

LuSoares disse...

Acho que lendo as pessoas não tem noção da dimensão que isso tem na vida de uma recém-mãe.
É tudo isso e um pouco mais... acho q pq é mt novidade ao mesmo tempo!!!
Ainda to na fase das coisas ruins... rezando pra chegar logo na fase "recompensadora".

Ahhh...e obrigada por me ouvir e me ajudar!!!
É bom saber q eu nao sou louca... q nao sou a unica q nao esta curtindo essa fase, pq o q todo mundo fala é q tudo é lindo e gostoso...um sonho...borboletas no estomago, coraçõezinhos voando...
Acho que lendo as pessoas não tem noção da dimensão que isso tem na vida de uma recém-mãe.
É tudo isso e um pouco mais... acho q pq é mt novidade ao mesmo tempo!!!
Ainda to na fase das coisas ruins... rezando pra chegar logo na fase "recompensadora".

Ahhh...e obrigada por me ouvir e me ajudar!!!
É bom saber q eu nao sou louca... q nao sou a unica q nao esta curtindo essa fase, pq o q todo mundo fala é q tudo é lindo e gostoso...um sonho...borboletas no estomago, coraçõezinhos voando...
Se não fosse sua ajuda (e sensatez) e ja teria saído correndo enlouquecida.rs
Bjs nas quionças

Anônimo disse...

Comentei e deu umas loucuras aí... nao sei editar!!! Rs.

Engraçadinha disse...

Ok, Lu!
Sem problema.
E não exagera, eu estou te dando atenção na medida do possível.
Você é excelente pessoa, eu adoro vc e confio no seu taco.
Por mais difícil que seja, você vai analisar direitinho quando passar e vai ver mudanças em você e nela.
<3

DO disse...

Nada como uma declaração honesta e absolutamente verdadeira de uma mama experiente,rss
beijos!!

Jânio SP disse...

Muito legal seu texto, parabens.
Eu sou homem, nao tive corpo alterado ... rsrs mas o resto .. senti tudo na pele com meus 2,5 (ja tenho um enteado de 25 anos ... )

Esses dias o meu de 17 passou no vestibular, foi o 4o da lista. Comemorei em compartilhei muito mais do que os meus resultados ...
Até hoje como "resto de comida" (tem tb o de 12) ... mas sou muito mais feliz do que antes deles entrarem na minha vida.
Abraço pra voce e sua família.

Engraçadinha disse...

Jânio,
Obrigada pelo comentário.
Filhos são isso mesmo. Além de nos amadurecer, provocam dores e delícias.
Abraço.

Linkwithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...