Subscribe:

quinta-feira, outubro 13, 2005

DIA DAS CRIONÇAS

Sim. Crionças.


Pacotinho c/ aquela mania de pedir tudo choramingando está virando criOnça!


Mas não é prá falar dele q abordei esse tema.
Tem vários amigos blogueiros que estão contando um pouco das suas infâncias e me deu vontade de resumir.
Eu me lembro de algumas coisas dos meus três anos.

Lembro de um dia q eu tentei sair do berço sozinha, tinha cheirinho de café saído da cozinha e vozes vindas da varanda.
Eu queria mostrar prá minha mãe q eu podia me virar sozinha e de fato virei... de cara no chão e c/ um galo na cabeça.
Ela veio me buscar. Mas... minha mãe tinha uma aura tão tranqüila, era tão linda minha mãe... Me pegou no colo e me pôs sentadinha na mesa da copa, onde outras pessoas conversavam tomando cafézinho. Dentre elas minha vó. Aquela q eu tanto amo e sempre vou amar.

Lembro de ficar horas brincando sozinha (quando ainda era filha única) no tapete da sala, c/ aquelas bonequinhas de papel, q tinha roupinha, vestidinho e tudo era motivo p/ trocar de roupa. Elas trocavam de roupa mais do q respiravam (?!?! Boneca respira?!?!). As minhas sim.
Lembro que c/ uns cinco anos, minha vó tentava de tudo p/ me botar prá dormir. Já freqüentava escolinha e já lia e escrevia, mas à tarde nas férias, ela teimava q eu tinha q dormir. Minha vó botava um ventiladorzinho na frente da minha cama e saía do quarto na esperança q eu dormisse. Eu mudava de posição e ficava c/ a cara no vento, morrendo de pena do ventilador, porque ele parecia estar reclamando do esforço. E desligava. E ligava, por sentir calor. E desligava por sentir pena... tornava a ligar logo em seguida, depois caía exausta na cama por conta do dilema. Acabava dormindo.

Lembro q c/ uns sete prá oito anos, ficava me olhando no espelho e fazendo caras e bocas. Às vezes enfiava a calcinha toda na bunda e ficava olhando prá ver se parecia bonito.
Se alguém aparecia, baixava a saia e saía correndo.

Lembro das viagens a Caxambu, q eu ficava ansiosa prá ir prá piscina, a ponto de sentir náuseas e quando chegava lá, molhava só o dedão do pé, por puro ca-ga-ço mesmo! Havia os jogos de boliche... as flores... a discoteca q eu era proibida de ir, mas quando voltávamos pro Rio, ouvia minha mãe contar maravilhas do lugar prás visinhas, prá minha vó...

Eu tive uma infância excelente. Era Tívoli Park, Teatro, Cinema, Museus... Nós não éramos ricos, pelo contrário, meus pais trabalhavam muito. Todos dois. Minha vó foi quem me criou. Fez a parte dura. O trabalho sujo, por isso sou tão próxima dela. Quando morrer, é por ela q vou chamar um dia e espero dar aquele abraço apertaaaado (se tiver forças), aquele q eu afundava no peito dela.

Tive os momentos cabeludos também. Meu pai começou a aprontar nos meus 7 anos. Eu via minha mãe chorando de madrugada c/ a cama vazia no outro lado. Eu também não dormia por vê-la sofrer. Eu vivia tentando uma resposta para tal situação e vivia inquirindo meu pai em relação ao amor q ali existiu um dia. Mas não consegui consertar nada. Não havia conserto.

Lembro de tanta coisa... e o melhor disso tudo, é o esforço q estou fazendo, prá que meu filho tenha uma infância totalmente diferente. Apesar de ter sido boa, eu espero q ele não tenha q ver, nem viver certas coisas q eu vi e vivi. Eu e Engraçadão temos essa convicção e preocupação. Até porque, somos diferentes do q nossos pais foram. Nós já somos a evolução.


Bj na Bunda e q Maria Aparecida ilumine a todos nós.

18 comentários:

Gwen disse...

Fiu-fiu!!!
gatinha, hein!!!
Rs
ah, eu lembro de mais coisa de qdo era quiquinininha que mal posso contar!
depois volto pra comentar o resto - nos ultimos dias tenho comentado por partes!
E, perdoa nois, somos impulsivos!!!
E é por isso que somos amados!
*piada interna nossa, povo! é pra vc´s boiarem mesmo!!!*

Mago disse...

Realmente a infância é algo que sempre nos lembraremos que sempre desejaremos que seja melhor para os nossos filhos do que foi para nós, afinal os tempos são outros e os nossos objetivos também... Um grande ebijo do Mago!

Ramom Adans disse...

tenho certeza que o pacotinho só vai levar boas lembranças da infância! ^^
eu tô procurando uma mãe adotiva... curriculum nos meus comentários! xDD
=o*

QUEIROZ disse...

Oi Engraçadinha. Pô primeiro valeu a visita e fico feliz por meu texto ter te inspirado. Li todo o seu texto. Muito bonito. Eu lembro de fatos da minha infância, mas detalhes ficam por conta da minha mãe. Vc é maneira. Visite sempre o meu blog. Quer dizer o Boca Libre. Pois estou emprestando o meu endereço p/popularizar mais o Boca Libre. Mas, novembro mês do meu aniversário o meu blog Escritos Malditos, volta. Se vc acha que eu gosto de escrever pouco engano seu, tem que ver meus textos no Escritos.

Beijos e volte sempre

Michael Meneses disse...

Lembro do dia que quebrei o braço tentando voar como super-homem poucas horas antes de viajar de ferias p/Aracaju/SE aos 4 anos.

Essa de ter pena do ventilador foi foda! RsRsRs...
Minha mãe tinha um remedio inflalivel para fazer o povo dormir.
Eu, meus primos eramos colocados para dormir com esse remedio.
Até tios e primos mais velhos faltaram seus trabalhos por conta de um remedio chamado:
Periatin BC (Já saiu de ciculução, pois boa coisa não era).
GERAL CHAPAVA COM ESSA DROGA!!!

Essa sua tara por bunda não é de hoje!!

Tivoli Park NUNCA fui, no auge desse park eu morava em Aracaju/SE, mas nos anos 70 eu tava sempre ao Park Xangai na Penha com meus pais.

Legal de vcs essa preucupação em relação ao pacotinho.
Também vi muita coisa desagradavel em relação aos meus pais.
Cheguei a ser obrigado a ser o responsavel por eles, quando tinha menos de 14 anos, pois tinha uns tios(as) que cismaram que eu tinha que educar meus pais.

Abração emuita força para vcs dois e para o Pacotinho.

Tatan disse...

É...aproveite enquanto vc ainda lembra de "tanta" coisa rsrs E vê se não mima demais o filhote, pra ele não crescer um homenzinho chorão...Bjs!

Gwen disse...

ainda não trocou o template?
eu cortava o salario...

Alguém, que já foi outro. disse...

A infância é delícia. É o estado confortável da ignorância.

Lady Metal disse...

Você tem uma irmã gêmea, mas de cabelo rasta roxo. E um pouco mais baixa. MEEEEDO.

ramom adans disse...

mas é claro que pode!
olha, no orkut eu sou ramom adans, e no msn sou justadans@hotmail.com
adiciona sim, vou adorar conversar com você!
todos os beijos que houverem nessa vida!
=o****************

tio gu disse...

A infância foi a minha melhor época (até agora). Textos profundos, hein? Blogueterapia? Vc e Engraçadão são ótimos pais ;-)

Juliana disse...

Tava com saudades. Bjos!

selph disse...

fico imaginando como serão os herdeiros do pacote. Lembra do lance de pulo de gerações? pois é... os filhos dele se parecerão com vc e o Engraçadão.

Engraçadinha disse...

Então serão completamente loucos.
Do Pacotinho eu já desconfio q vai ser meio louco, revolucionário... Eu gosto de deixá-lo completamente a vontade. Isso certamente vai incomodar.

Menina-Prodígio disse...

Falando uma coisa simles, que eu sei que você vai adorar...

Que Pacotinho mais lindo e sapeca!

Du H. disse...

"Às vezes enfiava a calcinha toda na bunda e ficava olhando prá ver se parecia bonito.
Se alguém aparecia, baixava a saia e saía correndo."

HAHAHAHHA... PQP!

(Óun, que foto chique!)

Michael Meneses disse...

VC PEDIU EU POSTEI!

Tá no meu blog:
http://www.paraybarecords.blogspot.com

Abração

DabliuGê disse...

vc já cresceu???? Eu hein.... tô fóooooora.....

Linkwithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...