Subscribe:

sábado, abril 17, 2010

Chico Xavier - O Filme e Nosso Lar - O Trailer

No geral eu gosto de polêmica. Mas evito entrar em certas temáticas justamente porque ando sem tempo para certas pelejas. Religião é uma delas!

Se eu abrir minha boca pra dizer o q eu penso acerca desse assunto, eu certamente ofenderia muita gente. Da católica - da qual fui praticante fervorosa por anos a fio- e principalmente da evangélica - da qual fui em alguns cultos arrastada por algum amigo fanático, mas nunca me convenci naquele decoreba todo sem fundamento!

Se eu resolvesse dar uma de beata Salú aqui, perderia meus poucos 5's leitores. Além do quê, somos um país ecumênico e parto da premissa de quem sou eu para sair apedrejando?

Minha parada sempre foi com Jesus. Entre eu e ele, sem intermediários. Nem nunca fui apegada a santo nenhum. Vai entender o porquê, sempre quando rezava, era entre eu e o Filho do Homem. Petulância? Não sei, só sei q foi assim.

Dona Engraçada sempre teve uma relação esquizofrênica com religiões e aonde ia me arrastava. Da igreja ao centro de macumba, passando pela Umbanda e o Centro de Mesa (como se chamava o Espiritismo Cristão). Ah! E não posso esquecer das Rezadeiras, coisa rara de se ver hoje em dia aqui no Rio (@MissMoura foi muito qdo era pequena).

Então um belo dia eu saí da barra da saia de Dona Engraçada que frequentava uma religião japonesa há aaanos e disse:

EU - Não vou mais na sua religião. Lá não fala de Jesus e eu não concordo em ficar venerando um cara q é vivo e q nem me conhece.

Ela se calou. Coisa difícil de se ver, mas se calou, porque quem ousa levantar a voz contra Jesus? Eu tinha uns 16 anos e passei a frequentar a Católica. Foi bem nessa época que começaram a chegar alguns livros psicografados às minhas mãos. Um sobre aborto, outro sobre crônicas, outro sobre espíritos com deficiência mental... aí veio Nosso Lar, veio a Biografia de Chico Xavier ainda quando era vivo e eu me senti impelida a procurar as respostas para as minhas dúvidas.

Na igreja Católica, ou se tinha fé ou se tinha fé. Aquela fé cega, mesmo com um passado histórico cheio de máculas em nome do pobre do Cristo que veio pregar o amor, a humildade e a não-guerra. Esse foi o principal motivo pelo qual me afastei. Flertei com a umbanda mas a mesma sede de conhecimento me tirou de lá. Hoje não vou em lugar nenhum. Mas estou procurando mudar a mim mesma para mudar ao meu redor. Beleza... cheeeeia de defeitos... ou seja...

Aí ontem eu e Engraçadão resolvemos ver Chico Xavier - O Filme. Pra quem já leu a biografia dele, vai encontrar alguns buracos, porque afinal, não dá pra botar tudo numa película em 2h15min de filme. Foi emocionante sim o banho de humildade q ele deu, os ensinamentos desde menino, humildade essa, que até a data de seu desencarne foi dando essa impressão - em pleno Pentacampeonato do Brasil na Copa do Mundo. Tudo estratégicamente pensado, tudo humildemente executado. Por isso eu vivo dizendo que as coisas muito complicadas são do capeta, não de Deus. A simplicidade muitas vezes não se enxerga e há tanta inteligência nela...

Então é isso. O filme sobre a vida de Chico é tocante, emocionante, mas me deixou com água na boca por faltar inúmeras passagens maravilhosas. Acho q o autor não quis tocar no ponto que beirava o absurdo, como da vez em q ele convenceu as formigas q distruíam a plantação que serviria pro sopão da casa de caridade, a mudarem-se pra outro canto, ao invés de exterminá-las. E elas o ouviram. Tudo na base do papo, da não-violência.

Continuam tratando guia espiritual, como é o caso de Emmanuel, como quase-santo. O q está longe de ser. Emmanuel sempre deu um monte de saraivadas no Chico. Saraivadas verbais, dedo-retais até, porque não queria seu aprendiz tendo sentimentos de auto-comiseração ou auto-piedade, muito menos q ele se sentisse privilegiado por usar mais da capacidade mental q o restante dos terráquios. Isso não era privilégio, mas prova viva, de q havia muito trabalho a fazer e um sério propósito por trás disso.

Mas antes, um micão digno de Guinness Book! Antes do filme de Chico começar, passa o trailer de Nosso Lar. Filme a ser lançado este ano, baseado num dos livros psicografados por Chico e q conta a história de André Luiz, desencarnado na década de 40; médico, q não tinha aparentemente nenhuma religião ou a tinha protocolarmente. Esse médico morre subitamente e se vê num mundo totalmente diferente, vibratoriamente compatível com seu comportamento ou estilo de vida enquanto vivente daqui. Qual não foi minha reação ao me deparar com a interpretação do livro pro cinema? Chorar q nem uma bezerra desmamada, lógico!

Acreditem, chorei soluçantemente no trailer de um filme. Quem estava ao meu lado, uma senhora não deve ter entendido lhufas! Engraçadão, começou a me zoar me chamando pra ir embora, antevendo o quanto eu choraria no filme do Chico. Mas não. Chorei muito mais no trailer de Nosso Lar e pelo visto, quando for ver o filme, tenho de levar uma toalha ou edredon, porque lençol não vai dar conta!

O q me emociona, além da iniciativa, é o fato de as coisas estarem mudando e de eu estar aqui vendo tudo acontecer. Outro motivo, é q tenho profundo respeito pelo mundo espiritual e acredito sim, q somos um pálido reflexo do modo de vida de lá.

Chorei tanto que não vi a data de estréia, mas acho q é em Setembro desse ano.
Pros que me acham maluca, a caixa de comentários é uma boa oportunidade pra me chamar como tal. Mas esse filme não perco neeeeeem fodeeeeeendoooo!

Bj na bunda.

15 comentários:

Ma disse...

Imagina a minha surpresa ao ver tansposto para o trailles(e consequentemente para o filme) o portal que sempre vejo, principlamente as pessoas que eu amo tanto e as vezes apareem para mim! Não posso imaginar Não ver este filme!

LuSoares disse...

CARALEOWWWW!!!!
Vc é phoda, mulher!!!
Tirou todas as palavras da minha boca! Traduziu em palavras tudo q eu penso e sinto (com a diferença q no meu caso foi mamy q me apresentou Chico, Kardec, André Luiz, Simonetti e todos os outros amiguinhos).

Na boa, hoje vc se superou!!!
Te amo mais do que ontem, beeeeesha!

(Aiiiii, que eu tô até agora boquiaberta... )

Bjundas!!!

Obs.: Chorei mares lendo Nosso Lar, imagina o filme! Levarei um edredon duplaface king size.

Engraçadinha disse...

Lu, a minha agora vai em 2 centros, mas trata do assunto como sempre tratou nas outras religiões. Beáticamente falando e dando sua interpretação pros erros DOS OUTROS!

Vou pegar teu edredon emprestado então qdo eu for!

Dani Antunes disse...

Preciso de inspiração pra falar a respeito. Não deve ser em forma de post, mas preciso.
Mas vc sabe tudo o que eu penso a respeito da Doutrina. E que eu também não perco NEEEEEEEEEM FODEEEEEENDOOOOOOOO!!

Lulu on the Sky® disse...

Não vi o filme, mas tenho um profundo respeito pela figura do Chico Xavier.
Big Beijos

Alice Voll disse...

Eu fui batizada na católica, mas mamãe conheceu o kardecismo, fomos todos pra lá, enquanto criança e começo da adolescência fiquei por lá, fiz MUITOS anos de evangelização até que resolvi que queria voltar pra católica, fiz 1a comunhão e crisma e vi que aquilo nada tinha a ver comigo!
Na verdade, eu sou apegada com Deus, a gente bate altos papos, mas religião, tô fora! Pode ser que daqui há uns anos eu mude de ideia, mas por hora, minha religião é Deus!
Chico Xavier tem espaço cativo aqui em casa, mamãe e irmã o amam, eu tb gosto, não tanto mas gosto!
Quero ver esse filme com mamãe e Nosso Lar tb!

Michael Meneses! - Parayba Records! disse...

"não concordo em ficar venerando um cara q é vivo e q nem me conhece".
CONCORDO, pensava assim em relação ao Airton Senna e não mudei o meu pensamento depois que ele morreu.

...

Por algum motivo eu recebi esse tal livro: "Nosso Lar" e se estou certo troquei em um sebo por umas Revistas Mad que tenho até hoje.

...

Chico Xavier - O Filme foi um filme que não vi e não gostei, igual foi com "E O Vento Levou"...

...

Só pra lembra chorei vendo aquele filme na sua casa do cara que tinha o dom do ofato opurado e ainda pouco chorei vendo "Aconteceu em Woodstoke".

...

Pode não parecer, mas também tenho profundo respeito pelo mundo espiritual, porem evito participar e/ou segui religiões, sou mais de fazer a minha Religião.

...
PS: Os 3 pontinhos (...) entre um comentario e outro não quer dizer que eu seja Marçon!

Abraços
Michael Meneses! - Parayba Records!

filipensses disse...

Tb não vou entrar em discussão de religião aqui, mas é curioso notar que eu estou do outro lado da moeda...eu tb saí de uma religião por ela não me dar respostas suficientes, mas no meu caso a religião da qual eu saí foi justamente a religião na qual vc entrou, rs...

Respeito bastante Chico Xavier, acho q ele foi uma personalidade-alma nota 10, mas tô ficando com a impressão de que tão querendo "Gandhificar" o cara, o que me parece um pouco de forçação de barra.

PS: Como é que tá a ervilha, td tranquilo?

Paula disse...

sabe oque eu não gosto desse oba oba todo em volta da figura do Chico?
Ninguém se lembra que a doutrina espirita não é religião. que o estudo da codificação é obrigatório para todo que se denomine espirita e o pior: a doutrtrina nos alerta a não idolatrar e "endeusar" médiuns e espiritos. Oque infelizemtne todo mundo faz com o Chico, como se ele fosse um ser perfeito e sem erros.
Pior ainda, quando sair o filme do nosso lar o povo vai acreditar piamente que isso é a pura verdade da doutrtrina espírita sem nunca terem lido a codificação...

Van disse...

Nem preciso dizer que fiquei furiosa de não ver "Chico" na estréia, né?! Não deu mesmo, mas fui ver logo depois. Sou seguidora da Doutrina e o nós sabemos que o kardecismo não é religião... enfim, eu fui preparada pra ver o filme, eu sabia que não era uma cinebiografia. Mas, vamos lá... Nosso Lar pelo visto vem arrebentando!
Beijinhos

Engraçadinha disse...

Paula e Felipenses Vcs sabem q os evangélicos pecam pela avareza/ apego ao dinheiro, os católicos pelos crimes sexuais e os espíritas pecam pelo orgulho.

Então não me surpreende o fato de estarem endeusando o Chico. Eu o admiro porque vivendo no século que ele viveu, ainda sim conseguiu ficar muuuito acima da média. Agora, creio sim q ele tinha defeitos. O lance da peruca, mostra q ele era vaidoso... e por aí vai.

Eu não frequento nenhum lugar, justo por ver o quanto as pessoas competem para ser melhores q as outras. A vaidade e o orgulho do espírita é exatamente seu maior desafio.

Leio sobre a doutrina e como disse no post, tento mudar a mim na medida do possível. Não sou santa, nem boazinha, muito pelo contrário. Mau caráter do olho junto.

Adorei vossos comentários!

Bia Carvalho disse...

Olá!
Você gosta de ler?
Então acho que você vai gostar do meu blog de livros:

Amor, Mistério e Sangue

Ele é especializado em Suspenses Românticos, mas de vez em quando eu falo sobre outros gêneros de livros também.
Quando puder, me faça uma visitinha e se quiser me seguir, eu vou adorar!

Fernanda Freitas disse...

O Renato Prieto (André Luiz no filme) é um fervoroso estudante e dedica seus dias a mostrar nas artes a doutrina espírita. Sim, faltava ele na telona, já que a temporada é de divulgação do Kardecismo (iniciada com aquela obra pobre em homenagem ao Bezerra). Com toda certeza será emocionante e eu também já estou na espera.

Janaina disse...

Um sonho que sempre tive já realizou:"NOSSO LAR" como filme.O livro é bárbaro,maravilhos.Beijos.

Estava Perdida no Mar disse...

Sou Kardecista, pouco praticante, mas adorei este teu post. Ainda nem vi o filme do Chico e pior, ainda nem li Nosso Lar (Viu como sou pouco praticante?). Tenho achado triste pessoas dizendo q chico não era cristão, pq falava com espíritos...mas enfim. Ah, seu post me deu vontade de correr pro cinema.

Linkwithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...