Subscribe:

segunda-feira, julho 15, 2013

PSORÍASE - PARTE 2

Eu realmente não sei como começar, porque é uma luta constante e por mais que você se esforce, parece que as coisas não melhoram. Parece um beco sem saída, sabe? Você rala, se esforça e não vê melhora.

Se assustou? Isso é psoríase. Precisa-se cavar mais fundo.
Não é uma doença de superficialidades. Longe disso.
É um cavar sem fim.



Mas não saia correndo ainda! Eu acredito que isso seja parte do processo.

Sr. Cabeça de Bolinha está fazendo Ludoterapia  (Joga no Google!) e isso consiste basicamente em levar a criança para através da brincadeira, derrubar a fronteira do imaginário infantil, buscar suas expressões enquanto indivíduo expressando-as à realidade à  que a gente é íntimo.
Um desafio né? E olha que esse conceito eu acabei de criar. É... mas é como eu enxergo.

Então a rotina, o dia-a-dia, vamos considerar, não revelam com certa clareza o que anda acontecendo. Porque você está imerso na rotina e não se dá conta. Felizmente há a tão famigerada luz no fim do túnel.

Descobri através dessa mesma analista que eu também sou ansiosa. Pois é, tinha esquecido de mim criança. Das dores de barriga ou enjoos diante de uma expectativa nova de fuga da rotina. Simples para me deixar mega ansiosa. 

O Sr. Cabeça de Bolinha já é um pouco diferente. Ele é ansioso naturalmente. Leonino, sente a necessidade do controle, o que para ele deve ser um infortúnio, haja vista que veio a ser o filho do meio, ou seja, sem controle algum. Entre Pacotinho e Dona Miúda, fica entre competir e imitar o irmão mais velho e se segurar pra não sentar a porrada na irmã, já mandona e taurina, mais nova. Deve ser barra.
Em face do corre-corre que é nossa rotina, isso deve provocar certa angúsita. Mais ainda depois que a Miúda nasceu e sua regalia acabou.

Fato é que conversando, eu e a terapeuta, descobrimos que o encerramento das atividades esportivas, devido a mudança administrativa do SESC vieram causar mais ansiedade nele. Ano passado, ele fazia natação, o que de certa forma lhe colocava um freio. Após a mudança, apenas crianças à partir dos 7 anos podem praticar esportes lá. Resultado, ele e Dona Miúda estão de bobeira depois da escola. O único que seguiu no futebol foi Pacotinho, que optou por trocar a natação.

Olha que coisa boa! Todas essas fichas caíram à partir da Ludoterapia, que felizmente ele ama. Chega a ficar ansioso e acordar com as galinhas, ao saber que no dia seguinte terá sessão.

Hoje foi um pouquinho diferente. A psicóloga quis conhecer o irmão mais velho e constatou esse lance da ansiedade dele, que apresentou um quadro de piora. Pois é, eu até andei pintando os cabelos brancos por conta disso, porque não está sendo fácil. 
Ela me contou que ele não concluía as brincadeiras e pedia pra trocar no meio. Não sei se queria apresentar todos os brinquedos de uma vez ao irmão, ou se foi ansiedade normal. 
Não foi né?

Fato é que ela passou um calmante infantil, aprovado pelo Suuuuperpediatra e isso será aplicado. Outra coisa que eu notei, é que por conta de tamanha energia e também por ele já ter 5 anos completos, a falta do soninho da tarde está fazendo com que ele fique mais irritado. Então controlei seus horários hoje. 
Pulamos elástico, já que as férias estão aí, depois futebol e queimado. Na volta, dei banho nos dois, almoço e botei o Bolinha pra dormir o soninho da tarde, porque ele estava digamos assim... insuportável, chorava à toa, inclusive por ser queimado no jogo. A boa notícia é que ele acordou outra pessoa, ainda que sem remédio. Então o cansaço pode ser um motivo.

Engraçadão chegou do trabalho e trouxe o remédio que já foi ministrado, justamente por ele ter dormido a tarde toda.

Como eu disse no parágrafo de entrada, o Sr. Cabeça de Bolinha e a psoríase são uma grande batalha, um puta desafio pra mim, no entanto, há luz no fim do túnel, a guerra contra esse mal não está perdida e seguindo os procedimentos, a piora inicial faz parte do processo.

Com sol, medicação, terapia e calmante até que seja possível voltar aos esportes, essa porcaria de doença vai estabilizar, já que cura não tem.

Essa semana ainda vou ao SESC chorar a possibilidade de incluí-lo na iniciação esportiva. Talvez consiga, dado o histórico da doença e os motivos de seu início.

Sabe, eu não tenho vergonha de pedir, afinal, eu poderia estar roubando, poderia estar matando, mas estou apenas tentando "curar" meu filho amado.

5 comentários:

Isabel disse...

"Com sol, medicação, terapia e calmante até que seja possível voltar aos esportes, essa porcaria de doença vai estabilizar, já que cura não tem."
É isso ai Flávia, não desistir jamais e saber se controlar sempre! Como também tenho essa doença sei que é terrível, mas sei que Sr. Cabeça de Bolinha vai se sair bem dessa!

Ane Brasil disse...

CAraca, não sabia ainda de crianças pequenas com psoriase... que saco, hein?
Bah, irmão do meio... sabe que estudei numa turma onde todo mundo ou era filho de pai separado ou era repetente ou era... FILHO DO MEIO hahaha e é bem isso que cê falou, eles diziam ficavam entre uma coisa e outra...
Sorte e saúde pra todos - principalmente pro senhor cabeça de bolinha!

Anônimo disse...

Flavia, é uma barra mesmo e o pior é que não tem cura, mas com o carinho que você dá, ele pode melhorar. Não sei como está a temperatura no Rio. No inverno piora um pouco. Tão pequeno e já ansioso. Acho que isso já nasce com a pessoa. Um beijinho para ele e outro gostoso para você.
Yvonne

DO disse...

Super mãe que ,realmente,ama seus filhos faz assim mesmo,Engraça. Desistir jamais e vc ,ainda por cima,é brasileira,rsss
Beijos!

Lulu on the Sky disse...

Putz que barra Engraçadinha. Não é fácil cuidar dos três ter que lutar com essa doença que não tem cura. Acho bom cabeça de bolinha conseguir gastar energia, ai ele já volta cansado e capota de vez qdo chega em casa.
Big Beijos e força na peruca

Linkwithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...