Subscribe:

quinta-feira, novembro 17, 2011

FESTA INFANTIL BARATA? MILAGES SÃO POSSÍVEIS!

Quem me vê toda linda, maravilhosa, desfilando os três filhos por aí, deve pensar que a Mulher Maravilha perde pra mim. Olhando pra trás, eu devo mesmo inspirar esse tipo de coisa.

Olhando meu último post, vejo como o assunto aniversário é cansativo, o q me tirou de circulação por mais de uma semana, mesmo tendo pano pra manga em termos de assunto! Hunf! Ah se eu fosse isso tudo!

Embora seja de uma família festeira, depois que eu vi o trabalhão que é organizar uma festa, bateu um trauma daqueles e a vontade de sumir é eminente.

Não é que eu não seja chegada a festas ou a confraternizar, mas é que imagina, lá em casa somos cinco espalhados pelo ano; então se eu fosse levar o quesito aniversário à sério, seria festa o ano inteiro.
Contabiliza isso?! Hallou! Ainda não sou rica e famosa, mas conheço gente pra caralho, moro num apartamento de 2 quartos de parcos 60m quadrados e olhe lá, que mal cabe o povo lá de casa. Me diga co-mo, fazer festa convidando todo o povo sem deixar uma parcela insatisfeita?

Você, amiga dona de casa, de classe mérdia e família exageradamente grande que nem a minha. No seu prédio tem play? O salão é caro? Dá pra pagar parcelado ao longo do ano? Então escute meu conselho: Di-vi-da!

A palavra divisão pode ter vários significados. Na Idade da Pedra Lascada por exemplo...

Nada disso. Não vou entrar nesse mérito.

Vou dar dois exemplos curtinhos sobre divisão e vcs q façam bom proveito!

Começo pelo meu. Esse ano resolvi dividir as comemorações, já que não poderia estar com todos os amigos, familiares, colegas de trabalho e os afins reunidos no play, ao som do meu DJ favorito, dançando até o sol raiar com as ideias cheias de álcool, q é como eu gosto de comemorar.

Eu fiz assim: meu aniversário mesmo, dia 09 de novembro (marquem essa data e comprem meu livro! Não pra mim!), caiu numa quarta feira. Então eu comecei a comemorar na terça feira, sim um dia antes. Esse dia, eu dediquei aos amigos do trabalho. Aqueles que me aturam no dia-a-dia, mais até do que Engraçadão que é um cara que divide a cama, as despesas e as saliências comigo, além das crianças q a gente desmembra.
Marquei com um grupo na Champanharia Ovelha Negra em Botafogo e lá brindamos com muita champagne até eu jurar q nunca mais bebo esse troço na vida. Tudo mentira, claro. Foi uma noite bem bacana, divertida, da qual eu só me lembro de metade e que ainda perdi minha carteira de habilitação, devidamente recuperada no dia seguinte.
Da esquerda p/ direita: X-boss, eu, @Miss Moura e @PripaRJ
Na quarta-feira, almocei com o grupo do meu setor e mais alguns amigos, ganhei presente da trupe e à noite, fui com a minha família a um novo barzinho perto de casa. Esse dia serviu para encher meu coração de amor, pedir perdão pelos meus pecados e dar graças pelo tanto que sou abençoada, pelos filhos lindos e pelo amor da minha vida estar ao meu lado. Dona Miúda perdendo a linha com um frango à passarinho em cada mão mais a boca cheia, mesmo depois de já ter jantado, foi um show a parte. Linda! Mesmo engordurada é linda!

No sábado, resolvi fazer um almoço para os familiares que me botaram no mundo. Bem... apenas minha progenitora apareceu, ainda sim, foi um prazer receber minha irmã, minha comadre e cônjuge, para assistir ao filme mais sangrento de Mel Gibson por insistência do Sr. Cabeça de Bolinha. Afff! Esse menino vai longe...

O q eu mais curti nesse dia, foi o carinho que eu recebi. Mamãe fez questão de levar fruta de sobremesa, sem nem eu ter pedido, além do almoço, eu fiz um doce que todos gostaram, mais tarde, servi um cafézinho com biscoitinho de feira e eu, Engraçadão, Dinda Lua e o vocalista dos Djangos batemos um papo gostoso, saboreando um cafézinho, comendo um biscoitinho, todos cansados, claro, mas isso nem se fez sentir, tal o prazer da companhia. Foi muito bom. Quase me senti na fazenda, de lenço na cabeça e avental, servindo os queridos compadres. A vida é boa, cara!

Outro exemplo de divisão é a seguinte: você reune os filhos e comunica que só tem dinheiro pra fazer 1 festa por ano. Daí vc tem tempo pra se programar e festejar com quase tudo o que tem direito.

Por exemplo, esse ano, a gente fez aniversário de 40 anos do Engraçadão com a Dona Miúda que fazia 1 ano.

Eu fui a grande organizadora de merda e claro, se não tivesse tido tanta interferência de Engraçadão, não teria tido quase um colapso nervoso no dia da festa. Foi apavorante.
Porque homem promete que vai ajudar, mas no final das contas, ele só dá pitaco no preço e interfere na quantidade de aquisições que vc tem q fazer, quase fodendo toda a sua reputação.

Mulher! Não siga meu exemplo.

Ou vc organiza do início ao fim e mostra a conta no final e ele que se dane pagando (já q fazer a festa não foi ideia sua) ou melhor nem fazer!
Nós pretendíamos fazer festa para 100 pessoas. Até aí, beleza!
Não teve um tema específico infantil, já que era festa mista. Então contratei a mesa de doces, painel com foto dos dois e bolas ornamentais; DJ para animar (melhor q eu tivesse animado, já q fiz todo o trabalho de selecionar as músicas q ele mecanicamente colocou); pula-pula, piscina de bolas, 2 garçons, salgadinhos, docinhos, mesa de frios, pão a metro, cachorro quente, pipoca e sopa de ervilha.

Tudo lindo e maravilhoso, se Engraçadão não tivesse se metido na quantidade de salgadinhos a serem contratados.

Ok, q das 100 pessoas, faltaram pelo menos umas 30, mas imagina se fosse todo mundo? A moça que faz esse salgadinho, ela deve pôr um encantamento nos salgadinhos, porque não sobra nada nunca!

Com a redução dos salgadinhos, o restante ficou bem comprometido. Os salgadinhos acabaram rápido, a sopa, que recebeu todos os elogios e repetências, foi esticada com água e foi bem nessa hora que eu comecei a chegar bem perto da histeria.

Estava exausta, nervosa, inchada, vendo Dona Miúda com sono sem poder fazer nada. O jeito foi cantar o parabéns pouco depois das 22h e sair da festa à francesa com minha pequena q dava sinais evidentes de gripe.

Todos dizem que a festa foi um sucesso, mas eu vi as falhas e não gostei nada. Festa boa, é aquele q sobra (não só álcool, como é o caso das minhas) coisas. Fui educada assim: antes sobrar do que faltar!

No próximo ano, faremos uma festa no play apenas para o Sr. Cabeça de Bolinha. Como ele faz aniversário em Julho, faremos uma festa temática que dá menos trabalho. Também chamaremos menos pessoas. Será família e os amigos mais íntimos, com algumas crianças da escola.

É muito importante guardar os contatos, principalmente se eles prestam um bom serviço, portanto eu tenho guardado o moço dos brinquedos, o telefone dos garçons e claro, a mãe 2 de Dona Miúda que além de cuidar das crianças na escola, ainda é boleira, doceira e ornamentadeira - sua filha é fotógrafa e seu genro o DJ q me cobrou preço simbólico.

Como já decidimos de quem é a vez, fica mais fácil nos programarmos meses antes para a festa e os contatos, bem como os quitutes serão preparados com bastante antecedência, logo que pagarmos IPTU, IPVA, material escolar, etc.

Na festinha dele terá os brinquedos de costume, caldo verde, sopa de ervilha, mesa com doces julinos que são baratos, mesa de quitutes julinos, pipoca e milho cozido, além das bebidas de época. Desde já preciso ir comprando os panelões (cada um sai em média quase 100 dinheiros).

Não seria melhor fugir?
É uma grande verdade, que se antecipar garante que a festa seja bem suscedida.

Sobretudo se vc tiver dinheiro para não meter a mão na massa, tanto melhor. Seria o ideal!

As duas linhas acima representam tudo o que eu não sou, é bem verdade...

Não, eu não sou festeira. Eu sou obrigada, é diferente.

10 comentários:

Lulu on the sky disse...

O importante é pesquisar bastante antes de qualquer festa. A diferença de preços é muito absurda. Por isso que é bom ter uma lista de contatos pra essas ocasiões.
Pagar mais caro é burrice.
Big Beijos

Anônimo disse...

Discordo que festa boa é festa que sobra coisas... se eu fizer uma festa cheia de comida ruim e cerveja quente, com certeza vai sobrar e não vai ter sido uma festa boa!!!! Mas eu entendi o que vc quis dizer. Bjs.

Fernanda Freitas disse...

Depois de muitas festas no hospital, recebendo inclusive elogios do prefeito... Posso dizer que também sou boa nessas coisas de "milagre em dobrar dinheiro" e ornamentações diversas. Se precisar de mim... É o que estou podendo: me doar de presente. kkkk

Magui disse...

Excelente texto. Para quem não é festeira, descreve um feito e tanto.Parabéns pelo niver! Que Deus a conserve sempre bem humorada com este senso de humor, privilégio dos cariocas.

'Lara Mello disse...

Nossa, você de verdade é um exemplo a ser seguido, a ideia de uma festa por ano é ótima, eu também acho melhor sobrar do que faltar, mas se todo mundo gostou, foi porque foi boa mesmo! Adorei as dicas, mas uma vez parabéns, que eu lerda nem tinha me tocado, achei que seria lá para o fim do ano, a louca Oo

=**

'Lara Mello disse...

Fláviaaaaa!
Eu te admiro! Mesmo se nunca tivesse ido no meu blog, eu continuaria aqui, porque te admiro e me identifico, ainda sou nova, não sou tão madura como você, mas vc é um exemplo mesmo, acho você uma ótima mãe, uma esposa maravilhosa, agente que é casada, sabe que ao longo dos anos é difícil e você tem jogo de cintura! Como não admirar?!
Sobre o niver, eu não entendi, porque foi um diálogo, achei que não era o dia, iria ser depois..

Vai quando puder, quiser, ter vontade, não ligo para isso não, carinho e carinho independente de qualquer coisa! =**

Ps: Fora que tu tem 3 filhos, né gata?! Eu com uma já não tenho tempo, imagina vc.. Rs

Morena disse...

UHUUUUUUU a festa foi mesmo um sucesso. e com criança não tem jeito tem que rolar uma festa por aqui já estão rolando os papos da festinha de um aninho do Andrézinho, para mim parece q ontem q eu peguei ele no colo pela 1a vez!
Acho que a idéia de dividir foi ÓTEMAAAAAA
Beijos saltitantes
Bom fim de semana

Jôka P. disse...

Feliz aniversário (ainda que com tato atraso) Dona Flavia Engraçadinha!
PS: Festas infantis são sinônimo de inferno pra mim, porque quero distância de crianças e não curto Coca-Cola, barulho e nem Xou da
Xuxa. Na verdade, muito raramente vou à festas, porque nessa altura da vida não acho mais graça nenhuma. Acho que já fui à todas as festas.

Engraçadinha disse...

Joka, eu só tenho paciência c os meus. Não tenho saco p filhos alheios. Eu não sabia q teria tantos dilhos, pq nunca fui do tipo maternal. Te entendo totalmente. Bj.

Anônimo disse...

Adorei seu jeito simples, engracado e direto de escrever...Bjos
alinemfs@yahoo.com.br

Linkwithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...