Subscribe:

segunda-feira, novembro 07, 2011

Quem é Naná Rizinni? Resenha do Álbum I Said

Claro que daquele passeio com a família na semana retrasada, algo de bom resultaria fora o trivial.
Ganhamos o CD promocional Oi Novo Som, onde alguns nomes que se destacam musicalmente no cenário carioca figuravam.

É música brasileira, mas surpreendentemente muita gente pro meu gosto está compondo em Inglês, flertando em francês e até em italiano.
Levamos pra casa e colocamos para ouvir enquanto tomávamos banho. Confesso, não entendi quase nada do que ouvia. Mal podia distinguir as letras das músicas. Então decidi ouvir no trabalho, com fone dentro do ouvido para entender o que era cantado.

De tão interessante que achei, ouvi o CD no looping por 3 dias. E daí filtrei os artistas Naná Rizinni e a banda Letuce.
Letuce está bem batidinha. Já tinha visto entrevista em programa da TV Brasil, já ouvi na Oi, já vi em zine no jornal e soube que até minha irmã anda ouvindo. Batidinha mesmo.

Só que a música que grudou de verdade foi Busy in the City, de Naná Rizinni.
Não me conformei. Claro, tinha q ouvir o que mais a moça tinha a oferecer. Então baixei os dois álbuns dela: Baconeggs (EP) e I Said (seu mais recente trabalho).

Soube que a moça era baterista e tocava com nomes como Wilson Sideral, Champion, Rogério Flausino, Negra Li entre outros, q se formou na escola londrina Drum Tech e que teve como professora e mentora, Vera Figueiredo que não faço ideia de quem seja, porque né? Meu negócio é criar filho e dar pitaco e só... mas lendo, me parece muuuita coisa.

Fato é, ela anda pela cena paulistana, dá show fora do Brasil e acontece. Não é à toa que chegou aos meus ouvidos. E assim como Lily Allen e Kate Nash que não se prendem a um único estilo em suas composições, Naná Rizinni faz sua salada musical. Tudo muito seguro, tudo muito bem arquitetado e ao mesmo tempo despretensioso. Sua voz me lembra a Rita Lee do álbum Tutti Frutti mas isso, só às vezes e em uma faixa, ainda sim, ela é afinada. Nenhuma sumidade, mas bastante afinada e para os dias de hoje, isso já está bom demais!

Uma coisa que me chamou atenção, foi que apesar da pouca idade e do modernismo, é que Naná apesar de ter saído de trás das baquetas, não se deixou levar pela onda da falsa desafinação nos vocais, tão em voga por aí. Kate Perry por exemplo é adepta, assim como Alanis Morrisete, Avril Lavine e por que não, Shakira (irritante)?!
E por terem feito sucesso, um bando de novas-abestadas seguem com essa sandice. Chato pra caralho.

Naná-não.

Tem personalidade suficiente para cantar no seu estilo, cativar e te levar a ouvir 200 vezes sem tirar seu CD da vitrola. Vertigem é uma delícia e dá vontade de se jogar lá de cima, tanto que se consegue imaginar cada cena da letra. Esta é em português. Delicinha mesmo.

Não me animei com Baconeggs, fora Busy in the City que aparece com festinha dos backings no final errando a letra e dando um charme a mais entre uma gargalhada e outra, também foi parar no álbum I Said, que é delicioso do início ao fim; despertando atenção dos meninos e me pedindo DE NOVO, a mesma faixa.


Apesar de as letras em sua maioria serem cantadas em Inglês, elas são muito gostosas de ouvir e algumas retratam um cotidiano desconexo, com frases soltas e totalmente possíveis no mundo dos solteiros, de quem divide um teto ou que ainda não achou o grande amor. São muito particulares e em alguns casos, me identifiquei (eu comigo mesma despida de personagens). 
No mundo de Naná Rizinni, a gente fuma cigarro um atrás do outro, a gente toma porres homéricos, a gente tem medo de dar porrada em alguém, a gente vomita no chão ou erra a privada; esquecemos o que íamos dizer ou comprar, somos feitos de carne e osso e temos direito às nossas viagens!

Eu diria que quem foi extremamente crítico com Naná Rizinni avaliando apenas sua melodia, não prestou atenção direito no álbum.
Além de uma voz suave e viciante, eu a incluo na categoria "magnífica" do contexto moderno.

Vamos então a Letuce?

Na próxima postagem, pode deixar!

=P


4 comentários:

Dani Antunes disse...

Só digo uma coisa: Não tem como ler esse post sem cantarolar essa música chiclete que tu enfiou na minha mente...

"I was busy. I was busy in the city... ♪"

Lulu on the sky disse...

Não conheço o trabalho dela. Vou me informar.
Big Beijos

Magui disse...

Muito bom fazer comentários sobre artistas que não aparecem na mídia e correm por fora. Ainda bem que podemos verificar no YOUTUBE.Qt à foto, tá mais pra Lady Gaga.

'Lara Mello disse...

Eu só conheço Vertigem dela =/

Linkwithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...