Subscribe:

quinta-feira, março 22, 2012

LAPSOS DE OUVINTE


Eu não estou deprimida.
Longe disso.
Mas hoje é aquele dia que não estou a fim de nada.
Não quero ir à terapia.
Não quero falar.
Não sei se estou com saco de ouvir.
Muito menos, não tenho certeza se quero confraternizar.

Não sei explicar, só sei que acordei assim.
Tristeza aqui não mora e meu exterior parece alegrinho e florido.
Só que por dentro, só queria ficar quietinha no meu canto, pode ser?
Justo hoje...

Hoje eu marquei de sair com uma grande amiga.
Daquele tipo de amiga cuja viagem nunca é perdida. Não mesmo.
E que certamente vou me arrepender de não ter saído, porque meu tempo é sempre mínimo e pouco sobra pra eu fazer o que gosto, sozinha.
Então eu aceitei.
E eu irei.

Mas vontade de sair desse lugar de dentro de mim mesma, hoje não tenho.
São muitas mudanças internas vindo pro exterior.
Além de um pouco de incerteza, apesar de todo o apoio.
Aliás, obrigada por vc ser meu marido e apostar em mim, na saúde e na doença.
Você é único na minha vida. E da minha vida inteira depois da vó.
Você se posicionou como ninguém mais (lágrimas).
E vc, além dela e dos nossos filhos, foram os únicos que me amaram sem egoísmo.
Os únicos.
(Lágrimas, ai... não posso agora!)

Só que eu tenho percebido, o porquê dessa minha prostração.
É que meu tempo é valioso e ultimamente, eu tenho dado preferência a quem sabe gastá-lo.
Tô ficando velha? Ultra seletiva?
Não, não é.
É que quando os filhos chegam, eles nos ensinam um troço do qual todo mundo fala, mas ninguém vive.
Chama-se qualidade.
Qualidade nas relações.
Eles te mostram através do amor abnegado a importância que têm no mundo e isso faz com que vc enxergue tudo ao seu redor, imbuído de certo amor, respeito e atenção, até com aqueles q não se dão conta disso.
Hoje, e não só hoje, faz um ano que eu tenho observado isso; mesmo as pessoas que perguntam como eu estou, elas não querem realmente saber.
Estão todas tão carentes de atenção, são portadoras de um vazio existencial tão grande, que o problema delas é sempre mais importante.
E tem uma urgência em q vc pare de falar logo, porque elas estão ali exasperadas para se expôr.

Sabe, eu fui assim por muito tempo.
Acho q estou pagando agora.
Porque as minhas relações mais próximas são muito assim.
Hoje, eu só escuto e pouco falo.
E pior, quando eu vou falar, estou tão impregnada da opinião delas, q as palavras saem sem coerência.
Saem atropeladas, saem estranhas e sem sentido. Então eu volto a silenciar.
A achar até, q o assunto delas é mais interessante q o meu.
E me calo outra vez.

Isso dá um boooode!
Imenso bode.
Bode preto e gigante em face de tamanho umbiguismo.

Uma coisa boa vem acontecendo.
Algumas dessas pessoas têm tido lapsos de ouvinte.
Tem aqueles dias em que tudo se torna um diálogo e há uma vontade verdadeira em OUVIR E SER OUVIDO.
A recíproca é mesmo verdadeira.
Nesses dias, eu só falto fazer declaração de amor.
De fato eu faço.
Porque noto um interesse genuíno em mim e não somente no meu ouvido.

Não raro me sinto burra também.
Porque apesar de ter certa coerência escrevendo, falando eu não sou essa.
Muitas vezes minha voz engasga e as emoções tomam a frente e fode tudo.
Ainda mais se tiver álcool no meio...

Portanto, é assim que eu me sinto hoje.
Dentro da concha.
Mas pode ser que não seja nada disso.
Pode ser só a menstruação chegando!

4 comentários:

Jôka P. disse...

Adoro a diversidade de olhares sobre as coisas. Eu nunca consegui ver "ter filhos" como uma coisa boa (a não ser para os filhos, algumas vezes). Acho que quem tem filhos passa a viver para eles, através deles, e se anula. Fica exibindo as crianças como pequenos troféus, e se esquece de si. Sempre tive pavor de que isso me acontecesse.

Ma Albergarias disse...

Silêncios são regeneradores, amiga.
Pausa pra gente mesmo e ficar assim meio sem estar visível, é necessário para mantermos nossa integridade.

Escolha sempre você.
E quanto ao Engraçadão: ele é ÚNICO!!!
Precisar, e quiser, grite...
Ando sumida eu sei, mas pra vc, sempre terei todo o tempo do mundo!!!
Bjo!

Engraçadinha disse...

Ma, esse dois pra vc.
Jôka, esse dois também.

Morena disse...

É verdade que a maioria das pessoas só ouve esperando a sua vez de falar. Fui doutrinada na faculdade para escutar melhor, isso melhorou minha ansiedade. Agora consigo escutar super bem, ou seja, se quiser pode me ligar rsrsrs
Mas só vc p terminar post jogando a culpa na TPM!!! rsrsr

Beijos saltitantes
Boa semana

Linkwithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...