Subscribe:

domingo, fevereiro 03, 2013

FÉ NA ESTRADA: Guarapari - Parte Final


Na estrada e fotos no carro
Ahááá! Pensaram que eu não ia mais sossegar o rabo no Rio né? Pois se enganaram. Tudo que é bom dura pouco e essa série um dia ia ter que terminar, afinal, já estamos dentro de fevereiro e as aulas já começam na segunda-feira. Ademais, eu não sei se poderemos repetir este feito tão cedo, já que estou atrás de estágio e estágio, é um emprego sem direito a férias... eu acho...  

Nosso último roteiro de viagem com toda a família para coroar nossas férias era Guarapari, no Espírito Santo. De carro, como sempre. Infelizmente não temos condições de bancar cinco cabeças dentro de um avião. É muita grana. Pra lá de 5 Contos de Réis. É muita coisa! É impensável nas atuais condições, então graças ao bom Deus temos um carro para ir aonde quisermos. 

Mas é chão! Usando uma velocidade aproximada de 100Km/h, fizemos a ida em quase 7 horas e a volta em mais de 8h porque paramos para almoçar. A ida certamente foi mais confortável para ambos, haja visto que dirigimos em média 3h cada um. Mas a volta foi inteira de Engraçadão.

Crianças de molho na piscina da pousada e no SESC Guarapari
Como fiz as reservas há mais de um mês, não fazia ideia do que São Pedro nos reservaria, de modo que não me surpreendi muito quando dei uma olhada no clima tempo, na véspera da viagem e ele me mostrou chuva desde o dia em que chegaríamos, até a véspera de irmos embora. 
Isto, porque Murphy atuou de com força junto do véio! Isto, porque Guarapari assim como o Rio, é uma cidade litorânea cercada de inúmeras praias lindas, quase sem ondas, além da piscina linda da pousada que nos aguardaria. É como eu sempre digo: MURPHY É MAAARA!

Foi o primeiro roteiro em que seguindo o Google Maps, chegamos sem dificuldades. Sim, porque vcs lembram, Paraty foi um fiasco nesse quesito! 
As quionça também não deram trabalho dentro do carro (na ida). Trabalho mesmo foi ultrapassar os caminhões na BR101, conhecida como a estrada da morte. Aquilo sim é estrada e não é para os fracos! Agora, eu posso arranhar em dizer que sou uma motorista cagona de estrada. Aperto o cu, reduzo pra quarta e se ao longe no horizonte não tiver nenhuma espécie de veículo no campo de visão, eu ultrapasso rezando. 
A BR101 não tem via duplicada. Ela é mão e contra-mão, recheada de caminhões e de motoristas enlouquecidos, que não vão pensar duas vezes em te jogar pro acostamento para ultrapassar o caminhão da frente. E muitas vezes é assim que funciona. Vc está feliz no seu lado da mão, quando avista na outra pista vindo em sua direção um caminhão e um carro tentando a ultrapassagem, pronto para colidir. Ou vc se joga no acostamento, ou provavelmente morre. Woooow, that's a biiingooo! Bem vindo a BR101! 
Cheguei em Guarapari sem celulite nenhuma na bunda, de tanto que ela ficou apertada ao longo do trajeto. 
Farra no SESC Guarapari
A pousada é bem razoável, ainda sim, descobrimos algo chamado SESC Guarapari, que consiste no complexo de turismo de lá. Com uma estrutura hoteleira de mais de 700 quartos, permite café, almoço e jantar na diária e sai quase o que gastamos nessa pousada, com direito a café da manhã apenas. Sai um pouco mais caro, mas se iguala quando vc inclui as refeições. 
Passamos uma manhã lá conhecendo o lugar e as crianças se esbaldaram com o parquinho. Sim, aquilo não é um play, é um parquinho. Fora a piscina, q é quase um parque aquático (acertou quem disse q eu taquei minha cabeça na parede internamente!).

Depois de aproximadamente 1h no SESC fomos conhecer as praias com tempo nublado e chuvas fininhas ocasionais. Passamos pela Praia da Areia Preta de carro e na verdade não pudemos ver a cor da areia. Depois praia das Castanheiras e essa sim, conseguimos ver sua exuberância lamentando o fato de estar nublado. Isso não foi impedimento para outras pessoas estarem dentro d'água. Por fim a praia dos Namorados. Só que no meu pensamento estava a tal praia das Virtudes que nem sinal, quintal da querida Yvonne, ex-blogueira que me lê desde que Pacotinho tinha uns 3 anos. 

Naquele mesmo dia tivemos o prazer de conhecer a blogueira Magui, a quem leio, que me lê desde muito tempo, tanto que nem sei precisar quanto. 
Ela é uma querida. Mineira de raiz, moradora do ES, engajada na causa feminina, inteligentíssima, eloquente, tudo de bom. Magui nos encontrou debaixo de chuva, como poucos fariam; foi até a pousada e dali partimos para o tão desejado açaí dos meninos. É a nova febre. Paramos num bar apertado, nos acomodamos e ali pudemos nos conhecer um pouco mais. Tudo o que eu já li, pude entender melhor acerca das coisas que ela escreve, o que me encheu de orgulho, saber q pessoa tão querida pôde enriquecer a vida de Guarapari, sobretudo melhorando a qualidade de vida das mulheres do lugar. Tanto, que muitas delas hoje abusam dos direitos que lhe foram concedidos. 
Magui é uma mulher de brios, sem perder a beleza e o cuidado consigo. Querida e admirável.

Panorâmica da Praia das Virtudes. Vista da areia. Um paraíso
Determinamos q no dia seguinte iríamos à praia da Yvonne de qualquer jeito. Com sol ou não, com ou sem chuva e assim fizemos. Ligamos pra Maridão (de Yvonne) que nos deu as coordenadas e assim descobrimos que a tal Praia das Virtudes é molinho de chegar. Basta seguir em frente pela praia dos Namorados que já é a próxima. Então chegamos rapidinho. 

Panorâmica da Praia das Virtudes. Vista de cima da pedra que limita a praia
Fiquei maravilhada e com vontade de me mudar agora, porque ela é pequetucha, água cristalina, tem uma vizinhança agradável, é mansa, te convida a nadar... não conheço praia igual aqui no Rio. Quer dizer, talvez a praia Vermelha se não estivesse tão suja certas vezes. As crianças piraram o cabeção, não queriam saber de sair da água. Só a galega q ainda se incomoda com o barulho das ondas, mesmo assim topou se molhar no colo sem reclamação.

Sentido horário: Yvonne e maridão, D. Miúda, piscina natural e nós
Por fim, eis que Yvonne chegou com maridão. E como são V.I.P.s por aquelas bandas, com eles chegou a mesinha com a primeira garrafa de cerveja. 
Aí mermão... teve mormaço, teve sol, teve eu mergulhando, teve a gente rindo pra caramba, contando aqueles casos que nem pra nossa mãe a gente conta, rindo das manias, rindo das coisas que tem que rir e rindo também do que não deveria ter graça.
Foi uma delícia passar esse dia com eles. É uma cariocada que optou por morar lá e eu entendo completamente isso, admiro, se pudesse e não fosse tão adepta do fervo, iria hoje mesmo como já disse. Mas por hora, nosso destino ainda está no Rio.

Por fim deixamos o quintal da Dona Yvonne, a Praia das Virtudes, aquele pedacinho de chão tão querido (já) para trás. Foram momentos deliciosos que só de lembrar aqui, já me dá saudade. 

Não tem aquela de dar um pulinho ali na Yvonne ou na Magui para bater um papo gostoso ou mesmo pra pedir conselho. São mais de 6h nos separando. De qualquer forma, meu coração está aberto e felizmente, os eletrônicos a toda para continuar nos mantendo juntas.

4 comentários:

Lulu disse...

Adoro a Yvonne. Conheço ela há tempos da blogosfera e ainda não tive a oportunidade de conhecê-la pessoalmente. Quem sabe um dia irei para Guarapari.
Big Beijos

Tutti disse...

Fiquei com vontade de conhecer Guarapari !

Yvonne disse...

Amiga, esse dia que passamos foi maravilhoso. Sinto saudades suas, do Fernando, dos meninos e principalmente da Lola que é muito fofa. Espero que esse encontro tenha sido o primeiro de uma série. Amei tudo. Muito obrigada de coração.
Beijocas
Yvonne

Magui disse...

Sem sol Guarapari perde muito. Um dia vc volta e vai ter o sol tinindo na cabeça de todos nós, reunidos na praia.Infelizmente não consigo me encontrar com Ivone na praia.Parece que o desencontro é fatal. Foi ótimo conhecer vc, sua família tão bonita.

Linkwithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...