Subscribe:

quinta-feira, janeiro 24, 2013

Fé na Estrada: Paraty - 3ª Parte


Paraty é uma delícia de visitar. Ainda mais a dois. Mas o que todo mundo esquece, é que Paraty em mês de janeiro, chove pra dedéu. E eu tenho o hábito não sei porquê, de visitar essa cidade sempre em Janeiro, que é mês de férias.
Dessa vez, auxiliados mais uma vez pelo Booking.com conseguimos em cima da hora uma pousadinha bucólica entre o mar e a montanha chamada La Dolce Vitta. Aliás, desde que vi as fotos me apaixonei de cara e infernizei a vida de Engraçadão para que fôssemos só nós dois.

Conseguimos, felizmente! Mas antes... Já contei que não sou muito amiga da matemática e medidas?
Pois é...

MAS O QUE SÃO 20Km, NÃO É MESMO?

Cara, sou péssima com esse negócio de medidas. Assumida! Não sei, direito, me enrolo e dou informação errada! Por isso não pergunte. Mas Engraçadão conta comigo para fazer a navegadora. Tadinho...
Bem, eu estava tentando ir para Trindade, só que pousadas lá estavam todas lotadas, de maneira q eu comecei a aumentar os Km ao redor até encontrar essa pousada a 20Km de Paraty, sendo q eu não sei o que são 20Km, Ok?! 
E a gente constatou isso ao passar de Paraty e se perguntar: E agora? Lógico, ouvi uns palavrões de marido, sempre tão carinhoso, amado e estimulante. Sim, ele me estimula xingando me dando carinho! Nada que uma ligação não resolvesse.
Mais palavrões pelo caminho repleto de lama, porque né? Paraty choooove, chegamos ao Corisco. Um sub-bairro de Paraty bem pra cima, muito em cima e lá no alto estava a pousada. Charmosa, bucólica, quarto de número 5. Adoro esse número! 

As foteenhas do quarto:


A vista é de tirar o fôlego! Já andar 20Km a toda hora que se deixava o local não era muito legal. 

Mal chegamos, já saímos para o almoço (16:00h) e felizmente, encontrei um restaurante à kilo em Paraty que nos atendeu. Aliás, tem cartel pra se comer, porque o preço do kilo ou o preço de um prato a la carte, saía praticamente a mesma coisa. Depois do almoço ficamos batendo pernas pela cidade, namorando as vitrines e as pedras fincadas no chão. É lindo! Mas não ouse usar salto. Ou se usar salto não encha a cara e nem se drogue, porque vc corre o risco de dar com a cara no chão!

Senta que lá vem mais fotos! Curiosidades:

Legenda abaixo em sentido horário, tá bom?
  1.  Paraty 33 é um bar-restaurante que eu nunca tive grana para entrar, mas tem Wifi pros clientes e música ao vivo de não sei quem;
  2. Olha que linda essa igreja! Ela é a primeira de uma série das muitas q se encontra ao  adentrar a cidade. Se eu sei o nome?
  3. Essa sou eu, pelas lentes de meu lindo marido;
  4. Encontramos o barco do Roberto Marinho;
  5. Marido andando descontraído, de férias e sem ser interrompido;
  6. É nóis na foto!
  7. Essa é a igreja que dá para a baía de Paraty. Se eu sei o nome? Ééé...
  8. That's me again;
  9. Não, isso não é um pênis fincado na grama, mas uma carranca de pedra esculpida e fincada na grama;
  10. As tão bucólicas pedras de Paraty entremeadas por flores que caíam das árvores.
O PAPEL HIGIÊNICO

E por falar em flores, nem tudo são flores, como vcs podem estar imaginando. O papel higiênico da pousada por exemplo, não era lá grande coisa. Era daquele tipo que não raspa, mas molha a mão te obrigando a pegar muito e acabar com o rolo. Se o casal, por exemplo, estiver obrando frenéticamente, esquece. Vai ter que ir na recepção e pedir outro, tá entendendo? Não curti.

O ATALHO DE LAMA

Existe um atalho entre esses 20Km de Corisco a Paraty e eu claro, depois do temporal que caiu do primeiro dia resolvi conhecê-lo, porque né, vai que... 
Pois é, se Engraçadão estava reclamando do trajeto asfaltado, imaginem vcs o quanto ele xingou, pelo menos mentalmente quando eu ao volante resolvi me atrever ao atalho de lama. 
Era um atalho verdadeiramente eficaz, já que comia uns 10min de volante. No entanto, com tudo enlameado e escorregadio, esses 10min poderiam muito bem ter sido impressão, ou viagem de droga.
Esquece.

A CACHOEIRA DO CORISCO



A pousada contava com uma trilha bem feitinha que dá acesso à cachoeira do Corisco. Uma delícia. Fomos já no dia seguinte logo após o café da manhã para espanto de Engraçadão. 
Ele está tão acostumado a me ver sedentária, q não entendia muito esse meu pra lá e pra cá. Mas é q eu gosto de fazer trilha, muito embora me arrependa assim que começo a subir a trilha e sentir o coração batendo mais do q deveria... 
Só sei q ao sair daquela água límpida e geladinha, deu uma lezeira, uma zonzeira... me pareceu muito com um banho de descarrego. Saímos limpos!

Vista da montanha na espreguiçadeira da piscina




Vista da piscina na espreguiçadeira da montanha

A CIGARRA BOOMERANG TAMBÉM FOI

Eu e marido não nos livramos do pesadelo da cigarra. Quem lê este blog mal frequentado sabe que existiu uma cigarra-boomerang em nossas vidas que nos visitava e aterrorizava a família aos domingos. Sempre aos domingos.
Pois na tranquilidade do nosso quarto em Paraty, ela mandou a irmã do interior nos importunar. Cara, vc não tem ideia!
Estávamos deitados vendo a Rede Bobo, quando ela passou feito um relâmpago. Nem chinelo, nem lençol, nem sapato... a dita se acomodou em cima do ar condicionado que era alto e ali no cantinho ficou, enquanto eu trancada no banheiro, rolava de rir, dava gargalhadas de pombagira e Engraçadão pagava seus pecados tentando matá-la. Incrível. 
Ele fez bolas de saco plástico e tacava ali em cima...rolos de papel higiênico e nada. Primeiro foi saquino de roupa suja que subiu e ali no ar, pertinho da cigarra ficou. Nada d'ela sair. Depois foi um saco com minhas maquiagens que são poucas a parar ao lado do primeiro, sem surtir efeito algum. Por fim, quase já não tinha espaço no ar e a cigarra insistente sem querer descer.
Amigos, bizarra a cena, mas foi mais de meia hora de luta ferrenha com a cigarra, até que ele a acertou e a enxotou do quarto. 
Eu já não conseguia mais rir.

ENFIM TRINDADE

Trindade é um desbunde. Fica logo ali depois de Paraty. Vc atravessa uma lagoinha para chegar à cidade logo na descida da montanha e o que se via há 15 anos atrás pelo menos, era um bando de bicho-grilo, maconheiro e mosquitinhos borrachudos que deixavam calombos enormes nas nossas pernas.

Hoje o que se vê em Trindade são paulistas, algumas pousadas, asfalto e montes de estacionamentos. Pois é, não tem espaço suficiente na rua para transeuntes, carros, ônibus e estacionamento ao longo da via.

As praias e a natureza ao menos, estão sendo preservadas pela prefeitura local. Tanto que ao visitarmos as 3 praias principais (Brava, Meio e Cachadaço), soubemos que na do Meio, a prefeitura estaria retirando no dia seguinte as barraquinhas e quiosques da região, que óbvio, vieram com o crescimento da cidade.
Não vi ninguém vendendo droga, nem ao menos no Cachadaço. Também não encontrei nenhum mosquito, nem dentro da mata. 
Curto muito esse tipo de passeio: Praia, marido, álcool, trilha e sexo, não necessariamente nessa ordem.


Foi legal estar ali sozinha com Engraçadão, rememorando a nossa juventude e o tempo de solteiros. A gente já tinha estado ali naqueles lugares e pudemos constatar que tudo evolui. As cidades, do barro ao asfalto, do deserto ao populoso, Trindade e Paraty são cidades a se explorar, para descansar e curtir a dois se for possível.

E enfim, depois de 3 noites bem dormidas nesse lugar mágico, enfim, tivemos de voltar pro Rio e cuidar de buscar as quionça em seus respectivos lugares.
Foi bom, o café da manhã não teve ovos mexidos como eu sonhei, mas as férias não acabaram ainda, nem os relatos. 
Aguardem que ainda teremos zoológico e Guarapari no finzinho do mês.

Bj na bunda!

8 comentários:

Morena disse...

Uhum, cidades a serem exploradas!!!
Dá p passar um pouco dessa inspiração aí?!? Tô aqui cheia de post p fazer rsrsrs

Amei as fotos!!!! Deu até saudade!!!

O único ruim das cidades q crescem é isso mesmo aí q vc disse, perde até os "musquitu"....

Beijos saltitantes
Bom restinho de semana

Magui disse...

Tudo muito lindo mas gostei mesmo foi da sua cor e do corpitcho do Engraçadão.Olé!

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Engraçadão disse...

Momentos mágicos...estávamos precisando...Recomendo a todos.

Lulu disse...

Não conheço Parati, mas já ouvi falar muito bem.
Fia, postei a música do Muse. Se joga.
Big Beijos

Magui disse...

Vamos nos encontrar:Mande dia e hora da chegada e onde vai ficar, numero de celular para semprembs@uol.com.br

Cascatino disse...

Tenho muita vontade de voltar a Paraty. Ou ir a Paraty, visto que quando fui era pirralha, não entendia nada e não mandava em nada. Logo... acho que não conheci o que deveria conhecer!

Agora, convencer Consorte a ir pra lugar com praia é algo meio sinistro... Acho que vou ter que ir com o amante mesmo.

=P

Aproveita Guarapari (mesmo com chuva) por mim!

Lulu disse...

Voltei amiga.. amanhã vai ao ar um meme literário e eu te indiquei
Big Beijos

Linkwithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...