Subscribe:

sexta-feira, setembro 26, 2014

HANGOUT: BIRRAS E LIMITES ENTRE OS 2 E 4 ANOS


Na terça feira passada foi dia de Hangout e a questão levantada foi justamente as birras que as crianças entre 2 e 4 anos fazem. 

Como eu já discursei sobre o assunto nesse post, que é um dos mais visitados dos últimos dois anos, achei pertinente postar aqui esse assunto, que quem é mãe, invariavelmente vai passar ou passa.

Crianças nessa idade fazem birra e muitas vezes, em se tratando de filhos menores, muitas vezes os pais acabam cedendo a esse tipo de manha, defendendo os menores em detrimento dos filhos maiores.

Nós pais e educadores, não raro costumamos ceder aos encantos dos pequenos. Por quê? Geralmente porque julgamos que sejam indefesos, dependentes demais, criando assim uma ditadura dentro de casa em torno dos pequenos.

Um alerta: agir dessa forma é uma maneira de deseducar. Se você na boa intenção, pensa que está protegendo, na verdade está criando um futuro mimadinho, acostumado ao mando dentro de casa e sejamos francos, isso é legal? Acho que não.

A Aline Kelly, presenciou uma cena no metrô, o que gerou a iniciativa do hangout. Ela viu uma família com três meninas, onde a pequena de dois anos, agitada, saía do assento e ao ser "detida" pelas irmãs maiores, tascou uma mordida daquelas, deixando a irmã mais velha chorando, ao que os pais ao invés de discipliná-la, acolheu a caçula, deixando a maior chorando sem se importar com a péssima conduta da pequena. 

Notem, filhos são filhos e como futuros adultos, precisam de limites. É sabido que na idade dos dois anos, os pequenos usam a mordida para se defender. Daí a acatar esse tipo de comportamento e aceitá-lo consiste em grande erro dos pais.

É isso que foi discutido nesse hangout. Como passar valores para crianças tão pequenas? Até onde essa disciplina é eficaz? Usando um pouco do meu exemplo, eu que dessa vez não participei do hangout, todos aqui tiveram a mesma educação, respeitando os encantos e diferenças de cada um. Dona Miúda, que é a caçula, nunca mordeu os irmãos, mas ao menor sinal de desrespeito, é motivo de castigo. 

Aquela máxima de que é de pequenino que se torce o pepino, é muito válida aqui em casa e eles já entenderam. Não que não teimem, ou que não ultrapassem certos limites. É natural das crianças desafiar os adultos, porém é da natureza dos pais e obrigação, educar e ensinar o certo. E respeito ao próximo, é algo que precisa ser ensinado desde cedo.

São os nossos exemplos principalmente, que vão moldar o caráter dos nossos filhos. Portanto, repitam incansavelmente, insistam, eduquem e persistam até do túmulo! Nossa voz será ouvida e respeitada por eles, pois somos seus pais com todo o peso que essa palavra representa.

Bom hangout pra vocês!

 

6 comentários:

Lulu on the Sky disse...

Não basta ser pai, tem que saber educar e corrigir um filho. Qdo eu era criança, tomei uma mordida de um menino na escola. Na época minha mãe ficou furiosa e me tirou da escola, mudei de colégio.
Tem que ter disciplina, senão o filho faz gato e sapato dos pais.
big beijos

Biblio Ideias disse...

Concordo com vc, Flavia e por aqui eu também ensino o meu pequeno a lidar com suas frustrações, sem fazer birra.

DO disse...

E vc pode ter certeza que seus filhos serão pessoas de bem,íntegras e sempre agradecerão aos pais pelo q tiveram em casa.
Outro dia presenciei numa loja,um menino de seus 4 ou 5 anos aprontando o diabo. Derrubava produtos,corria,mexia onde não devia,e a mãe ...desesperada,passando as mãos pelo rosto,mas falando calmamente pro filho ficar quieto.
Uma cliente se perturbou e falou que ela precisava controlar a criança.
A mãe falou mais alto.O menino veio até as duas e sabe o que falou?
- Se ela ralar a mão em mim,eu chamo a policia pra prender ela.
Fiquei perplexo. Todos ficaram e olharam pra mãe,q se limitou a dizer q ele já fizera isto.
É o fim dos tempos.
Bj

Anônimo disse...

Eu fiz isso, qse 30 anos atras, e sabe o que minha mãe respondeu?
- Pode chamar, eu vou presa e vc vai pra um orfanato. E vc acha que la vc vai ter uma caminha gostosa e cheirosa só pra vc? Acha que vai ter comidinha especial que vc gosta? Acha q alguem vai te ajudar com o dever de casa? Que alguem vai levantar a noite pra te acudir qnd vc tiver pesadelos?!!!
Pensa bem!!!

NUNCA MAIS FALEI NADA SOBRE POLÍCIA! !! hahaha

LuSoares

Nivia Masutti disse...

Muito bacana o post Flávia, não tinha lido ainda.
Sobre os comentários acima, vivemos um momento bem complicadinho para nós pais. A mãe da Lu Soares não duvidava do seu papel e da sua importância, por isso não fraquejava na hora de chamar à razão. Com a mulher tendo que assumir diversos papéis, essa confiança ficou abalada. Vivemos um momento em que culpabilizar as mães está na moda, eu acho. Se vc não amamenta, é egoista, se amamenta por muito tempo, não pensa em si mesma. Se trabalha fora, é negligente, se deixa de trabalhar para ser mãe, está se escondendo atrás da maternidade e é fraca (já ouvi cada absurdo). Mas o fato é que tudo isso acaba por nos fragilizar de uma maneira ou de outra. E leis são criadas para evitar abusos, mas as pessoas não interpretam isso direito, muitas vezes levando ao pé da letra, qdo na verdade elas não se aplicam a todos sem distinção. Precisamos sim educar bem e educar direito, e estarmos seguras disso. Como vc colocou no post, estamos criando futuros adultos e por consequência, o futuro do mundo. A mãe do menino que a ameaça precisa ser empoderada em sua maternidade. Espero que com essa discussão possamos ajudar outras mães a se sentirem seguras também.

Flavia Moura disse...

Nivia, adorei seu comentário e desculpa por ter demorado tanto a responder, pois entrei em semana de prova, tipo, casca grossa.
Mas é isso mesmo que vc disse.
As mulheres estão inseguras, como provavelmente sempre estiveram. Lembro da minha mãe falando que me dando educação as pessoas já falavam, que dirá se não desse!
Então essa cobrança da sociedade sempre existiu. Ao menos lá em casa, mamãe sempre trabalhou e por questões de personalidade, nunca deu trela pro que diziam. Vai muito da pessoa também ser insegura a esse ponto. Vai da personalidade. Na minha família, as mulheres têm personalidade forte, então não se abatem com qualquer coisa. Sabem colocar as crianças em seu devido lugar.
Bjs e obrigada.

Linkwithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...