Subscribe:

sábado, junho 22, 2013

É COBRA ENGOLINDO COBRA - AH, O FACEBOOK!

"Não tá fácio" .
Apesar de as coisas estarem se encaixando bonitinho, apesar da correria, apesar do protesto, apesar dos pesares, as coisas estão chatinhas de se ver. 
O brasileiro está chatinho... péra, deixa eu melhorar.
Às vezes eu fico pensando, que o Mark Zuckerberg é um enviado direto do capeta. 
Não, ele é o segundo na linha de ideias mirabolantes de como embaralhar a humanidade, porque antes teve o Orkut que cumpriu muito bem esse papel. O de aproximar o que a vida havia se encarregado de afastar.

Ali no Facebook existe uma certa ditadura da opinião. Você simplesmente tem que ter, tem que ser, tem que ao menos aparecer, ou aparentar. 
Ser você mesmo? Nem pensar, não dá likes. Dizer o que pensa então? Nunca, jamais em tempo algum. Alguém vai discordar e sempre vai querer dar a última palavra. SEMPRE.
Isso, quando você é alguém que ainda tem algo a dizer. Porque você pode simplesmente ser do clube do gift ou do power point ou ainda da corrente. Desconfio que de repente esses, são mais felizes, porque não se envolvem em bate-boca, não se estressam com assuntos relevantes e de conteúdo, ou com aqueles que se julgam ter conteúdo. A turma do gift não fala de coisa séria, não debate, não discute... só ri e compartilha o que é dos outros, mesmo assim, assuntos de fácil compreensão que até um analfabeto é capaz de se identificar e rir também. De preferência que envolva amor.

Já os outros... os  outros até pouco tempo tinham o prazer de meter o dedo na ferida, conclamar o brasileiro a promover mudanças em seu país. Péra. Isso foi depois. Antes, a onda era a publicidade como estilo de vida, até de gente que nunca foi do meio. 
Novos vocabulários, jargões que mudavam a cada semana, eram eles que ditavam as regras e a moda. E eu, apesar de não ser uma publicitária, estava tão impregnada deles, sabendo de tudo no ato, em cima do fato, que admirava sim, compartilhava sim e muitas vezes concordava também. 

Tinha um óculos de hipster, um quê de antenada, de propagadora de opinião, 9 anos de blog... é eu definitivamente era da galera. Mesmo frequentando a alta roda virtual, tinha o hábito de passar como uma sombra só olhando o que rolava, aproveitando as piadas mais sacanas, bacanas, etc e tal, porque não sou boba de abrir minha boca sobre coisas que não entendo.

Acontece que a minha vida não tem metade do glamour dessa galera (anota aí que o povo a que me refiro não são ricos em dinheiro, mas são solteiros, têm outro ritmo, Ok?).
Eu nunca me conformei com destino que meu país vinha tomando. Ainda que não falasse de política por aqui, porque não sei fazê-lo; assim como talvez a maioria, sinto na pele todos os dias o preço que se paga pra viver numa cidade olímpica das confederações da copa de 2014.

De uma hora pra outra, o Rio enlouqueceu. Os imóveis ficaram absurdamente caros no morro ou no asfalto, ou aonde quer que seja. Os preços da comida estão impraticáveis. Numa ida a padaria, os antigos 10 Réau agora é pouco. Não dá. Leve mais. 
Roupas? Só quando fura ou rasga. E olhe que nem estou mencionando as crianças. Esqueçam elas por enquanto! 
Sapato a gente compra quando precisa mesmo. Quando pinta uma festa, uma reunião... e isso se estende pra unha, cabelo, pele... Ou você esquece que eu sou mulher e deveria estar magra, linda e impecável? Não, não é historinha. 

Aquele que está desempregado no Brasil (fiz aniversário de 1 aninho de descontinuada de uma grande multinacional por opção - a palavra desempregada traz má sorte!), tem a obrigação de estar mais impecável quando busca a vaga de emprego, do que aquele que está empregado concorrendo à mesma vaga. Ele deve estar limpo, bem vestido, com cabelo apresentável, unhas em dia e pele brilhante. Depois de passar no teste da olhada, aí sim, vem o peso do currículo. E não venha aqui me chamar de reaça radical xiita, que isso já foi feito no Feice hoje. Sejamos criativos, please!

Mas voltando ao Feice, instrumento do tinhoso. Essa admirável vitrine a qual nos expomos por  livre e espontânea vontade, é um lugar pra você se colocar. Se seu grupo de amigos assim o for, pessoas de conteúdo, se prepare para ter o que dizer. E se prepare também para ser questionado. 
Se antes as pessoas gritavam em coro que as redes sociais deveriam ter uma utilidade melhor do que a de espalhar fezes por aí, assim que isso se torna uma realidade, ali mesmo as máscaras caem. E como num milagre, as pessoas começam a falar em línguas, cada um na sua própria, que fique claro!

Agora amigos pacifistas e amigos vândalos se enfrentam; amigos com bandeira de partido e amigos apartidários de degladiam; amigos pró-manifestação e amigos que não aguentam mais falar de protesto dão unfollow. 
Antes porém, se esgotam em discussões estéreis onde um quer convencer o outro do contrário, passam o dia inteiro perdendo o tempo tentando inutilmente mudar a opinião do outro, como se isso fosse realmente salvar o mundo e num passe de mágicas, consertar a pseudo-situação de crise... ora vamos! Quanta bobagem!

A realidade é a seguinte. 
Ali, ninguém é amigo. Não é. Aqueles que tem mais de 200, como é o meu caso, são dementadores, não são amigos. E olha que eu não sou popular! Sou blogueira, é diferente.
São pessoas que tem permissão pra saber da sua vida inteira e nada mais. Olham seus pensamentos, adentram sua casa, sabem o que você come, sabem pra onde você vai na  night, sabem quando você ficou de pilequinho, sabem pra onde você viaja, em quem você beijou na boca na última night, em qual lançamento você foi e sabem também se você mentiu a respeito. Todos esses dementadores não são seus amigos. Amigo é outra coisa. 

Amigo está ali ao seu lado, frequenta sua casa, enxuga suas lágrimas, está no tête-a-tête com você. Amigo sabe antes. Amigo nem precisa de palavras, muito menos de justificativas. E se você por acaso começar a viajar numa determinada questão cujo conteúdo ele discorda, ele vai ser o primeiro a te mandar ir tomar no cu e prestar atenção, mermão. 
Ele sim, é capaz de mudar sua opinião de maneira branda, mostrando um outro olhar porque te conhece. Esse amigo, ele sim pode e nunca, jamais em tempo algum, vai te chamar de fascista só porque você acredita em algo diferente dele.

O que tem lá no feice é cobra engolindo cobra.
Gente que quer ser mais, gente que sabe mais, gente que mostra mais, gente, mas muita gente mesmo, sem o conteúdo mais importante que é saber olhar o outro com a humildade de se colocar no lugar dele. De ouví-lo e pensar a respeito, porque se colocou no lugar dele, ao invés de pensar meia hora numa resposta melhor que NÃO vai convencê-lo do contrário.

É por isso que a vida é sábia e afasta as pessoas. 
Ela dá o tempo certo pra cada um contar sua historinha, fazer sua gracinha e se são pessoas que não vão acrescentar nada na vida uma da outra, elas simplesmente vão embora e se afastam para o bem de todos, sem traumas.
Por isso eu tenho sérias dúvidas acerca da procedência dessa máquina de encontros. 
Isso só pode ser obra do capeta!

4 comentários:

LuSoares disse...

é....tenho que concordar...
Amigos mesmo, sabem da sua vida antes mesmo do login no fb ser feito.

Tava aqui analisando.... eu nunca falei de politica...só pq expressei minha opinião (alias, hj foi o ultimo dia...ops...ontem foi o ultimo dia, pq to estressando demais e Zorelda nao gosta...me dá azia...rs)
Bom, voltando ao assunto. qnd expressei a minha opinião até meu irmão (irmao de sangue, heim) veio pra cima...me chamando de algo q nem lembro o nome...só pq critiquei as vaias na Dilma no dia da abertura da Copa das confederaçoes.
Como vc disse é cobra engolindo cobra...e as vezes até da mesma especia e arvore genealogica :-0

Tutti disse...

Amigo a gente traz no peito, não "encontra e adiciona" no Face. Ali é "rede social" !!!

Lulu on the Sky disse...

Parabéns pelo texto Engraçadinha. Já me irritei e muito com o facebook. Tem pessoas que te adicionam lá e qdo vc fala algo que discorde do ponto de vista é o primeiro a criticar, por isso, evito de me manifestar muito.
Já parei de receber feeds de muita gente que só quer se exibir como se fosse aquela familia de margarina feliz saca?
Ninguém é feliz o tempo todo, tb não tenho paciência de quem só se lamenta.. aff
Big Beijos

Anônimo disse...

haha!
adorei, muito bom.
parabéns pela análise.

Linkwithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...