Subscribe:

sexta-feira, agosto 29, 2014

CONVIDADA DA SEMANA: *MAMÃE ANÔNIMA - QUEM TEM MEDO DO LOBO MAU?


Enfim chega uma fase na vida do seu filho que o “doce” e a “bala” já não são mais um problema para os dentes de leite, mas um bicho papão muito mais perigoso. E neste momento que os primeiros passos, aquela disciplina que você impôs (ou não) vão se fazer presentes e conduzir esse caminho. 

As crianças crescem (é só imaginar que nós, os pais, um dia também fomos crianças) e os perigos aparecem. É claro que estou falando das drogas. Longe de mim querer levantar qualquer bandeira, mas eu sempre preferi me manter longe até do cigarro. Sou asmática, alérgica e, extremamente pão dura. Não consigo admitir para mim mesma torrar meu dinheiro com algo absolutamente inútil e nocivo. Mas o pânico tem ainda um motivo mais concreto: vai que tenho aquele organismo pronto para se viciar? Não posso perder minha vida, meu tempo, na sarjeta, tentando sair de onde não deveria ter entrado. 

É claro que sempre tentei passar essa neurose para o meu filho. Programa de TV com penitenciarias mostrando traficantes? Olha, Gustavo. Outro mostrando a Crackolandia? Olha bem se isso aí é o que você vai querer para tua vida! Fui hereditariamente e sem vergonha passando a ideia adiante. 

Acontece que, muitas vezes, aquele monstro que estava de baixo da cama vem te assombrar, do nada, a luz do dia. No último final de semana estava eu em uma festa de família. E lá estava meu filho e um primo (um ano apenas mais velho) conversando com outros primos que são da “minha idade” e já perderam a vida e muito dinheiro em clínicas de recuperação – que eu nunca entendi bem pra que, se sempre voltam ao mesmo ponto de partida como se fosse possível sair dessa com os mesmos hábitos, amigos, lugares, etc – quando meu ouvido, sempre alerta, flagra o diálogo: 

- Um dia vocês vão experimentar... Você sai do chão... he he he!

Eu poderia descrever o que foi o diálogo que seguiu daí, mas reúne mais palavras de baixo calão, ofensas e verdades guardadas há anos, do que propriamente um discurso que possa ser transcrito. Em resumo, coloquei meu filho, o primo, a prima mãe dele e as outras duas crianças dela dentro do carro, junto com minha mãe, não sem antes acabar com a festa.

- Nunca vai se esperar que o aliciamento de menor vá acontecer dentro da sua família, embaixo do seu nariz - Eu esbravejava no carro. 
Ao que diante daquele ódio, Gustavo vira para mim e diz:

- Mãe, você não confia na educação que me deu? Hoje você estava aqui, mas não vai poder me defender do lobo mau sempre. Meu vício é tecnologia e olhe lá. Preciso de dinheiro pra jogar... E isso é um barato, tá ligada?! 

De imediato voltei lá no início do post. A vida inteira demonstrei que não se pode gastar com o que vai te prejudicar, nunca ele me viu envolvida mesmo com as drogas lícitas. É... Ele só tem 14 anos e tudo pode mudar (o telhado é e sempre será de vidro), mas esse foi até aqui a maior sensação de trabalho bem feito que já tive na vida. Se eu posso dar um conselho de mãe? Dê bons exemplos. As crianças copiam. 

*Esse post foi feito por uma grande mãe e amiga. Seu nome foi preservado para garantir a privacidade da família.
 

6 comentários:

Chris Ferreira disse...

OI Flávia, eu amei o post da mãe anônima. Esse é o meu maior medo do momento já que minha filha está adolescente e começando a ir a festinhas. Realmente a gente nunca espera que o aliciamento venha da própria família. Nossa, eu ia ficar muito irada, mesmo sabendo da educação que dei e que não poderei estar sempre presente para proteger.
Parabéns pra essa mãe, pelo trabalho bem feito e pelo texto.

beijos
Chris
Inventando com a Mamãe

DO disse...

Parabens para a mãe anonima,pro filho que soube aprender as lições em casa . E pra Engraça,logico.
Bj

Flavia Moura disse...

Chris, primeiramente obrigada pela visita, venha sempre que quiser.
Esse é o medo comum de quem ama e se importa com o filho.
Por outro lado, minha amiga sempre educou sem travas ou hipocrisias. Ela que também é jornalista, nunca criou seu filho numa bolha e apesar da insegurança que nós mães sentimos, o fruto do nosso trabalho suado, têm que aparecer uma hora né?
Felizmente esse menino é querido, inteligentíssimo e está em boas mãos. A mãe é uma guerreira, mulher de fibra e só podia estar fazendo ótimo trabalho com ele.
Está colhendo o que plantou. É o que ela diz, são os exemplos e não o verbo, né?

Flavia Moura disse...

DO, seu lindo, obrigada pelo carinho de sempre, por estar junto não importando que cara esse blog tenha.
Tamo junto irmão.
A mãe do post de hoje está de parabéns mesmo!

Anônimo disse...

Menina, que perigo. Sua amiga foi maravilhosa.
Beijocas para ela
Yvonne

Lulu on the Sky disse...

Parabéns a mãe anônima. Realmente não é fácil educar um filho.
Feliz dia internacional do blog pra vc.
Big beijos

Linkwithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...