Subscribe:

segunda-feira, agosto 11, 2014

QUEM TEM MEDO DA ADOLESCÊNCIA?


Como na música que ilustra o conto de Chapeuzinho Vermelho, "Quem tem Medo do Lobo Mau?", a adolescência representa o grande bicho papão para muitos pais. A gente sabe que esse dia vai chegar e sacode a cabeça, tenta afastar o pensamento, porque sabe o quanto é difícil para pais e filhos esse enfrentamento.

Mas espera aí! A gente também foi adolescente! A gente já se sentiu dono da verdade, sabedor de todas as coisas, a gente já confrontou nossos pais e fizemos besteira escondido. Seria então o medo de levar o troco, passar por essa fase?

A adolescência nos convida a fazer um exame de consciência, a olhar para trás e rever tudo o de ruim que um dia fomos. E claro, mais ainda pros que detestam a autoanálise, significa enfiar o dedo na ferida e torcer.

Dando um passeio por sites de notícias, encontrei essa matéria alarmante! Em casos de adoção, muitas famílias brasileiras preferem adotar crianças com deficiência, do que levar para suas casas o pacote completo da adolescência. Como se um adolescente fosse proibido de ser amado... Imagina o nível de carência que esse indivíduo vai sofrer. É justamente quando começa a se dar conta do funcionamento do mundo, que virá a constatação de que ninguém o quer e de que ele terá de se virar sozinho.

Aqui em casa, temos um pré-adolescente. Pacotinho é o cara.  Como sempre foi bem a frente de sua idade, é natural que certas características da adolescência comecem a aflorar. E haja paciência. Coisa que adulto não tem muito. 

Eu então, tenho sérias dificuldades em repetir coisas. E se você pretende ser pai, pode se preparar para ligar o botão do repeat.  Se você acha que seu filho vai crescer e as coisas vão melhorar, que ele vai responder no automático tudo o que você demanda, pode tirar o cavalinho da chuva, que sua sina daí por diante será REPETIÇÃO, INSISTÊNCIA e PERSISTÊNCIA.

É assim que funciona por mais que a gente não goste. É coisa do cérebro, não tem jeito. O cérebro amplia e tudo fica meio solto lá dentro. Por isso eles esquecem, confundem ou não reagem e a gente pira. As mamãe pira! Os papai pira e quase perde o cabeção!

Mas não desistam, mamys and papys. Lembra do amor que vocês sentiam pelo seu bebê? Então, em nome desse amor, temos que seguir o método. O adolescente precisa de referência e sobretudo, precisa saber que a gente se importa e está no comando. Não desistir é a palavra chave, mesmo que nosso ego esteja fazendo pirraça e se jogando no chão, mesmo que o programa esportivo esteja mais interessante, ainda que você esteja puto com seu filho por algum motivo. As nossas crianças precisam se tornar cidadãos íntegros no futuro e a única maneira, é ter pais apoiadores e interessados. E claro, isso significa você mais uma vez, deixar claro que está presente e que ele poderá sempre contar contigo. Só que de verdade, não da boca pra fora.

Mas antes, já que o assunto é adolescência e Pacotinho, aí vai uma das que ele aprontou e que quase matou a família de susto. 

Pacotinho estava no play esvaziando caixinhas de estalinho e juntando a pólvora dentro de um saquinho. Muito provavelmente se achando o mais inteligente de todos com seu novo experimento científico. Para um adulto qualquer, aquilo estava na cara que resultaria em merda. Mas quem disse que a gente se ligou? Eu, correndo de um lado para o outro, desfazendo os vestígios do que foi a festa da minha amiga Advi, que foi no play do meu prédio na noite anterior e marido, nas poucas vezes em que apareceu, foi com o mesmo objetivo de ajudar a limpar o fim de festa.

Óbvio que nós dois vimos o que Pacotinho fazia. Chegamos a falar que aquilo não ia dar em boa coisa, mas não foi com aquela autoridade paterna. Falha nossa. 
À tarde, a caminho da casa do meu pai para o almoço de Dia dos Pais, todos arrumados, cheirosos e penteados, entramos no carro com crianças, pólvora e tudo. O Scénic que mais parece um elefante branco quando entra no buraco, balança confortavelmente de um lado para o outro, contudo, isso não impede de haver atrito. E foi justamente o atrito, que fez explodir a pólvora dentro do carro. Pois é, imagina a cena. Nós lá tranquilões e de repente, BUM! Explode e voa pólvora por todo o carro. Fora aquele barulho fininho em nossos ouvidos, que a explosão provocou. 

Felizmente, ninguém se machucou. Foi mais o susto e em seguida, a raiva de uma ideia tão tosca. No entanto, se analisarmos bem, eu e marido não fomos enfáticos ao persuadir Pacotinho daquela ideia idiota. E claro, ele foi ouvindo sermão do pai por um bom tempo e se sentiu muito envergonhado pelo que fez.
No fim, todos sobrevivemos, mas poderia ter sido diferente.
Ai, adolescência... Quem aguenta?

Blog A Vida Quer, por Sam Shiraishi - Post Adolescência é Sinônimo de Aborrecência?
 

5 comentários:

Morena disse...

CARACAAAAA pior q eu tbm vi isso e achei q ia dar merda toda aquela pólvora no mesmo saquinho! Mas nem me liguei de falar com vcs tbm! Imagina q podia ser bem pior!!!! Sorte q ngm se machucou
E posso imaginar o pai aí dando broncas mil e ainda deve estar dando !! Rs
Bjos saltitantes

Amanda Schuler disse...

Eu amooo quando você compartilha experiências porque eu não tenho experiência nenhuma nisso, hehehe. E na minha futura profissão precisarei lidar com vários tipos de comportamento. Por isso eu sempre me inspiro na sua sabedoria aplicada!
Felizmente ninguém se machucou ai, hehehe
beijocas

rendasepaetes.com

Lulu on the Sky disse...

Você sabe que a gente só aprende quebrando a cara. Na adolescência, dificilmente os filhos ouvem os pais.
Agora q eu vi q vc intitulou galeria infame e meu blog estava por lá.. hahahahaha explica pra lora o significado?
big beijos

Flavia Moura disse...

Lulu, é infame porque tem uns links de gente irônica e sarcástica que eu adoro. Aliás, é o perfil da maioria que está ali.
Como vc ainda não é mommy...

Anônimo disse...

Flavia, eu já te falei o que eu penso sobre o seu filho. Esse menino vai fazer a diferença no mundo.
Beijocas
Yvonne

Linkwithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...