Subscribe:

terça-feira, abril 13, 2004

PARABÉÉÉNS! É UM BEBEZINHO

Foi um chute nos colhões (se eu tivesse)! Tinha acabado de comprar um apartamento com meu amor, aos 29 anos. Morava lá há menos de 6 meses. Estava numa fase boa, não a ideal, mas boa. Empregada, morando onde queria e sempre sonhei voltar, com a pessoa que eu escolhi, naquela fase gostosa em que vc transa em todos os cômodos da casa, todos os dias, principalmente nos dias de faxina regado a cerveja. Saíamos muito, nem tanto naquela época, pois estávamos endividados, mas a felicidade transbordava.

Sempre me achei muito infantil para ser mãe, mas pensava q um dia isso aconteceria. Em várias conversas c/ o Fê nós dizíamos que se eu engravidasse, assumiríamos, mas na prática tudo muda... Eu estava indo muito à praia, curtindo um namoro gostoso com meu recém-marido e tinha planos de engravidar somente aos 35 anos, quando acreditava eu, estaria madura para cuidar de uma criança. Nunca fui de brincar com bebês. Vivenciei a criação de crianças menores c/ meus irmãos, sendo que c/ os meninos não participei, por serem filhos do meu pai e não morarem perto de mim. Já c/ minha irmã, a relação (na infância) era de amor e ódio. Primeiro por conta da diferença de idade (11 anos), depois, porque, por diversos fatores, a criação foi totalmente diferente. Ela era bem levada, eu bastante inflexível em certos momentos, metia a porrada nela, quando ela passava dos limites, mas quando minha mãe não estava perto, nossa relação era bastante afetuosa. Brinquei muito com ela e acho que em alguma coisa contribuí p/ a formação dela.

Mas filho... Não naquela época (eu pensava!)
Minha avó veio a falecer. Nós nos amávamos demais, a menstruação não veio...
Meu amor c/ aquele jeito doce q lhe é peculiar - "Por q vc não vai logo ver essa porra!!" - É q de vez em quando eu faço corpo mole, sabe?! Daí fui fazer uma ultra p/ ver qual era.
Era.
A Drª. q fez a ultra ainda me deu parabéns. Eu vi aquele serzinho todo formado, já com dois meses, dentro de mim. Chorei tanto, perdi o chão. Fui chorando até em casa, achando tudo muito injusto. Por q comigo! Eu nunca tinha engravidado antes. Não tinha idéia de nada. Fiquei desorientada, tinha tantos planos...
Mas logo o instinto materno bateu (na cara) - "Agora pára de chorar q vai fazer mal pro bebê" - Foi isso q meu instinto falou. Ah! O meu fala!! Grita. Naquela hora, berrou. E as lágrimas imediatamente secaram.
Mas por dentro, fui das mais egoístas. Pensava só na minha vida e no "e agora??" Tinha acabado de emagrecer 10 quilos, ainda tinha isso. Estava recuperando minha auto-estima, sabia que ia tudo p/ o caralho!!
Só os super hormônios da gravidez, te faz achar as outras mulheres esculturais, seres dos mais esquisitos da Terra. Vc é a normal, as outras é q estão sem barriga. Tudo se tranqüilizou depois q o Fê chegou em casa. Ele já tinha tomado um porradão por telefone e em casa já chegou comemorando. Mais uma vez ele foi sensacional. Me senti segura nos braços dele, porque ele me fez ver, que os 3, seríamos mais felizes ainda. Daí, a saga começou. Depois eu conto mais. Deixem suas impressões. Grávidas ou não!

Bjs na bunda.

3 comentários:

Karina Matos disse...

Flavinha... nem quero imaginar qdo acontecer comigo !! Meus planos tb é de ser mãe aos 40 anos... já estruturada financeiramente e pessoalmente, mas quem pode mais que Deus ??
Hoje, vc baba pelo seu filhão e ele é lindo !!
Beijos. Karina Matos.

Liberato disse...

Onde estão as fotos de mulheres peladonas? Aquele de óculos na foto em q vc e seu marido aparecem é o Zé Dirceu? E o Waldomiro é o sujeito oculto? Ah, que treco irritante...

Paty (a irmã de 20) disse...

Lembro disso... vc aos prantos no telefone e eu e mamãe comemorando...

Linkwithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...